Mano Menezes mostra irritação em treino e cobra dos jogadores

O que era pra ser um simples coletivo nesta quinta-feira expôs toda a irritação do treinador com o desempenho de seus atletas

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Mano Menezes em seu primeiro contato com o plantel do Timão
PÁGINA OFICIAL/FACEBOOK/REPRODUÇÃO
Mano Menezes em seu primeiro contato com o plantel do Timão

A paciência de Mano Menezes com o time do Corinthians está no limite. O que era pra ser um simples coletivo nesta quinta-feira expôs toda a irritação do treinador com o desempenho de seus jogadores. Foi um festival de broncas distribuídas em campo.

Guilherme (com quem discutiu durante o jogo com o Atlético), o lateral-esquerdo Fábio Santos, o atacante Luciano e, principalmente, o meia Jadson, foram os principais alvos de Mano que berrou, gesticulou, cobrou. Tudo para que os erros não se repitam diante do Flamengo, domingo, no Pacaembu, quando só a vitória deixará o ambiente tranquilo.

Mano cobrou atenção nas jogadas para Guilherme, chegou a pedir para o volante correr numa cobrança de falta ensaiada, mesmo não autorizando o prosseguimento do lance. Com Fábio Santos, um dos mais experientes do elenco, a ordem foi mais branda. Apenas para acertar o posicionamento nos contragolpes. Os contra-ataques, por sinal, são o grande temor de Mano. E tiraram do sério. A maioria surgiu após cobranças de escanteios de Jadson.

"Cobrou na mão do goleiro, já sabe, tem de sair correndo atrás da bola", foi a primeira intervenção com Jadson. Nova cobrança errada e dá-lhe bronca. "Você deve estar com bastante vontade de correr atrás dos jogadores em contra-ataques, né?". Numa dessas rápidas saídas, o time reserva fez 1 a 0 no trabalho, com Malcom. Mano esbravejou demais.

Como castigo, insistiu nos escanteios. E Jadson não retrucou as broncas. O meia viu o local onde Mano queria que a bola fosse e acertou. "Boa, Jadson", foi a recompensa. Daí, sobrou para Luciano. O atacante mostrou displicência nos rebotes e acabou, como castigo, perdendo a vaga no time titular.

"Vai lá Luciano, vem Petros", mudou o técnico. Substituído, Luciano minimizou as broncas e os gritos do chefe. "Foi apenas um jogo sem fazer gols. Domingo vamos trabalhar mais forte e quando a oportunidade aparecer, vamos buscar os três pontos", disse o jogador, que agora é candidato maior a deixar o time.

Ainda mais após a melhora sem ele. O resultado veio em velocidade recorde com Petros e Jadson. Um golaço de Romarinho e outro de Guerrero para, aí sim, os titulares vencerem: 2 a 1. Mano, contudo, saiu com a certeza que precisará arrumar a casa.