Corpo do dançarino Douglas Silva é enterrado no Rio sob gritos pedindo

Antes de fecharem a sepultura, os presentes seguraram o caixão no alto e cantaram músicas funk enaltecendo o amigo e protestando contra a violência policial

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O laudo preliminar do Instituto Médico-Legal apontou que o jovem foi morto por um objeto que atravessou o seu pulmão, possivelmente uma bala
Agência Brasil
O laudo preliminar do Instituto Médico-Legal apontou que o jovem foi morto por um objeto que atravessou o seu pulmão, possivelmente uma bala

O corpo do dançarino Douglas Rafael Silva foi sepultado na tarde desta quinta-feira (24) em clima de grande comoção, no Cemitério São João Batista, em Botafogo, zona sul da cidade. Sob muitos aplausos e aos gritos de "justiça" e "polícia assassina", o caixão foi coclocado em um jazigo simples.

Antes de fecharem a sepultura, os presentes seguraram o caixão no alto e cantaram músicas funk enaltecendo o amigo e protestando contra a violência policial. Douglas morreu na madrugada da última terça-feira (22), mas seu corpo só foi localizado no início da tarde. A suspeita de que tenha sido assassinado pela Polícia Militar gerou uma onda de revolta por parte da comunidade do Morro Pavão-Pav ozinho, em Copacabana.

O laudo preliminar do Instituto Médico-Legal apontou que o jovem foi morto por um objeto que atravessou o seu pulmão, possivelmente uma bala. Depois do enterro, os moradores voltaram em passeata para o Morro Pavão-Pavãozinho pelas ruas de Copacabana, carregando cartazes protestando contra a violência policial e pedindo justiça para o caso. A marcha foi acompanhada por policiais militares.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave