Xarás do Cruzeiro comemoram bom momento nas quadras e gramados

Levantador do time de vôlei e atacante da equipe de futebol se encontraram na Toca da Raposa II e trocaram camisas, antes de bater uma bola

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Dupla teve conversa descontraída na Toca da Raposa II
ANA FLÁVIA GOULART
Dupla teve conversa descontraída na Toca da Raposa II

Dois ídolos celestes, de mesmo nome, estiveram juntos na tarde da última quarta-feira, na Toca da Raposa II. As semelhanças entre o levantador William, do Sada Cruzeiro e seu xará Willian, atacante do time de futebol, passam pelo bigode e pela importância dentro do elenco, mesmo com o jogador dos gramados tendo que esperar para voltar a ser titular no time de Marcelo Oliveira.

No encontro, cada um presenteou o outro com a camisa que costuma usar nos jogos. Além disso, a dupla aproveitou para bolar uma bola, ou melhor, duas, cada uma com sua especialidade, deixando claro que a habilidade do levantador também aparece com o pé, assim como a do atacante acontece com as mãos.  "Sou baixinho, só dá para jogar de líbero", descontraiu Willian, com 1,71m.

Apesar da agenda de treinos, viagens e jogos, acompanhar o time que leva o mesmo nome é uma atitude que aparece de acordo com a disponibilidade. “Sempre que pode, a galera aqui do futebol acompanha os jogos do Sada Cruzeiro. Eu, particularmente, gosto muito e assisto toda vez que tenho oportunidade. Sabemos que o Cruzeiro tem um grupo forte e eles vestem a mesma camisa que a gente, então torcemos bastante", comenta Willian.

O jogador garante que estará na torcida para incentivar o time de vôlei a conquistar o bi do Mundial, que acontecerá entre 5 e 10 de maio, no Mineirinho.

"Jogar em casa vai favorecer muito, mesmo jogando contra clubes fortes, como sabemos que é caso dos russos. Mas creio que o Cruzeiro vive um momento bacana de união, vitórias e títulos, e ainda vai ter o apoio do torcedor, que faz a diferença. Não há nada melhor do que estar jogando no seu país, no Mineirinho lotado, isso faz muita diferença. Creio que eles têm total condição de conquistar esse Mundial e nós estaremos aqui, na torcida”, projeta.