Germes estão presentes em locais menos esperados, aponta especialista

Bolsas e botões são alguns dos exemplos citados como surpreendentes; lavar as mãos constantemente é um dos hábitos mais indicados para evitar contaminação

iG Minas Gerais | Da Redação |

undefined

Os germes estão sempre em foco quando o assunto é higiene. Tem gente que é capaz de torcer o nariz, por exemplo, se alguém sai do banheiro sem lavar as mãos, mas, segundo especialistas, preparar uma refeição também pode te deixar exposto. A constatação é do infectologista Charles P. Gerba, professor da Universidade do Arizona.

Convidado pelo site especializado em saúde "News Max Health", ele listou locais 'improváveis', mas que também são redutos de germes. Veja abaixo:

1) Botões Os botões estão em todos os lugares, como elevadores e cafeteiras, e têm muitos germes. Pesquisadores da Universidade do Arizona descobriram que cada chave em um caixa eletrônico é o lar de, em média, 1.200 germes, incluindo vírus da gripe e E. coli. Nos elevadores, os botões do primeiro piso são os mais contaminados  porque são os mais pulsados. Para evitá-los, a dica é apertar os botões com cotovelos.

2) Vasilhames com condimentos em restaurantes Mesas de restaurante são limpas entre os clientes, ainda que, às vezes, com pano cheio de germes, mas garrafas de catchup, sal e pimenta quase nunca são limpas. Considerando que a maioria das pessoas não lavam as mãos antes de tocá-las, as garrafinhas são geralmente cobertas com germes de dezenas, se não centenas, de clientes. Limpe os potinhos com um guardanapo - duas camadas, se possível. 3) Câmbio do carro Pesquisadores britânicos descobriram que um veículo tem, em média, 285 tipos de germes. Antes do estudo, microbiologista da Universidade Ashton Anthony Hilton pensavam que os volantes iriam abrigar mais microorganismos, mas se surpreenderam ao encontrar 356 germes por polegada quadrada no câmbio. Limpe-o com frequência, juntamente com maçanetas. 4) Bolsas Uma empresa britânica descobriu que as bolsas podem conter mais bactérias do que o vaso sanitário, e bolsas de couro piores, porque a textura esponjosa oferece um ambiente ideal para a reprodução. Para evitar a contaminação, lave as mãos constantemente, e limpe alças outras áreas regularmente.

5) Bombas de gasolina Higienistas de Kimberly-Clarke, a empresa que faz os lenços Kleenex, limparam centenas de superfícies em seis cidades e descobriram que cerca de 71% das alças das bombas de gasolina abrigavam altos níveis de trifosfato de adenosina, um composto químico que indica a presença de bactérias e vírus que são capazes de transmitir doenças. O ideal é se proteger usando luvas descartáveis - vale lembrar que, no Brasil, os índices devem ser bem menores, já que apenas frentistas podem abastecer, ao passo que, em muitos países, os próprios clientes fazem isso.  

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave