Goulart quer vencer São Paulo para abrir vantagem e ganhar moral

Avante vê Tricolor como concorrente direto ao título nacional e diz que vitória servirá de estímulo para a Raposa na Libertadores

iG Minas Gerais | BRUNO TRINDADE E RÔMULO ABREU |

Ricardo Goulart em ação contra o São Paulo, no ano passado
Washington Alves/Textual
Ricardo Goulart em ação contra o São Paulo, no ano passado

Provável reforço do Cruzeiro para o duelo deste domingo com o São, no Parque do Sabiá, em Uberlândia, o meia-atacante Ricardo Goulart inclui a partida como mais uma das tantas decisões que a Raposa tem encarado recentemente, embora seja apenas o segundo jogo no Brasileirão.

O jogador pontua os motivos que fazem do confronto com o Tricolor paulista uma 'final de campeonato'. Para Goulart, além de um clássico brasileiro, o jogo colocará frente a frente duas equipes que vão brigar pelo título, além de poder surtir efeito no futuro do Cruzeiro, que terá um confronto de vida ou morte três dias depois, pela Libertadores.

“São jogos decisivos e a gente sempre entra com o pensamento de vencer. Tem que separar Libertadores e Brasileiro, tem jogo difícil com o São Paulo, vamos fazer um bom jogo e esperamos que uma vitória possa fortalecer para quarta-feira”, disse o camisa 28, em referência à partida contra o Cerro Porteño, que será disputada no Paraguai, valendo vaga para as quartas de final do torneio sul-americano.

Tabu

Outro fator que fazem os cruzeirenses não encararem o jogo de domingo como um compromisso qualquer é a meta que o time tem de quebrar um tabu indigesto diante do Tricolor paulista. Já tem dez anos que a Raposa não consegue se impor dentro de casa e vencer o São Paulo pelo Brasileiro. A última vez que isso aconteceu foi no Nacional de 2004, quanto os celestes aplicaram 2 a 1 no rival.

De lá pra cá foram quatro derrotas e dois empates no Mineirão. Enquanto o Gigante da Pampulha ficou inativo para reforma, a Raposa seguiu mal, com derrota no Parque do Sabiá em 2010, empate na Arena do Jacaré em 2011, e novo revés jogando no Independência, em 2012.

“Futebol é jogado, a gente foi no Morumbi e ganhou de 3 a 0 (em 2013), eles ganharam no Mineirão, mas a gente teve oportunidade de fazer gol com Willian (na trave) o que mudaria a história do jogo, mas fomos campeões, agora é outra história. Espero que possamos vencer, estamos bem preparados, vamos ver o que o professor Marcelo tem a dizer para conquistarmos os pontos e mudar essa situação (tabu)”, comentou. 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposaricardo goulartsao paulotabu