Muricy culpa cansaço e diz que São Paulo segue vivo

Jogando fora de casa, o Tricolor perdeu de virada para o modesto CRB e terá que decidir em casa a permanência na Copa do Brasil

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Muricy afirmou que o time está crescendo e no caminho certo
Rubens Chiri/São Paulo
Muricy afirmou que o time está crescendo e no caminho certo

O técnico Muricy Ramalho lamentou a queda de rendimento do São Paulo na derrota por 2 a 1 para o CRB, de virada, na última quarta-feira, no jogo de ida da segunda fase da Copa do Brasil, mas destacou que o time ainda está vivo na competição. "Dá para reverter em casa", avisou, ciente de que uma vitória simples por 1 a 0 garante o time na próxima fase da competição. A partida de volta será disputada no dia 7 de maio no Morumbi.

O treinador reconheceu que houve um erro de estratégia, pois mais jogadores deveriam ter sido poupados, assim como ele fez com Luis Fabiano. "A preocupação era com o cansaço, pois teríamos duas viagens seguidas. Chegamos a ponto de poupar o time todo, mas como ninguém reclamou do cansaço, resolvemos vir com todo mundo. Acho que foi um jogo atípico. A gente sentiu um pouco o esforço do jogo de domingo, pois não é fácil jogar nessa temperatura e com o campo pesado", afirmou.

Muricy avaliou que os jogadores do São Paulo sentiram ainda mais o desgaste físico após a expulsão de Rodrigo Caio, o que complicou a situação do time em campo. "Com a expulsão, o cansaço do time aumentou. Não tivemos o controle do jogo e erramos muitos passes. O grande erro foi esse. Acho até a expulsão foi gerada no primeiro tempo, quando ele tomou um cartão amarelo que não pode tomar, num passe que ele arriscou. Ficou pendurado para o restante da partida e acabou sendo expulso", reclamou.

Para Muricy, o São Paulo começou bem a partida, mas depois caiu de rendimento. De qualquer maneira, o comandante não acha que o resultado negativo de quarta-feira vai atrapalhar o planejamento da equipe para a temporada. "É muito cedo ainda, começamos bem o Brasileiro e essa é outra competição. Temos de ganhar jogos sempre, a pressão existe o tempo todo", disse.

O técnico viu com bons olhos a postura do novo presidente do São Paulo, Carlos Miguel Aidar, que avisou que o treinador só sairá do clube quando quiser. "É muito bom ouvir isso, pois o futebol é sequência de trabalho. Que beleza que ele pensa assim", comentou.

Leia tudo sobre: sao paulotricolormuricytecnicocopa do brasil