Suspeitos na morte de menina de 10 anos participarão de reconstituição

Delegado que acompanha caso espera esclarecer todos pontos da investigação que ainda estão em contradição

iG Minas Gerais | CAMILA KIFER |

Após matar criança, Filipe e Márcio ainda roubaram um carro e fizeram o dono refém
POLÍCIA MILITAR / DIVULGAÇÃO
Após matar criança, Filipe e Márcio ainda roubaram um carro e fizeram o dono refém

Será realizada na manhã desta quinta-feira (22) a reconstituição da morte da menina Giovanna Ramos Duarte, de 10 anos, vítima de bala perdida no dia 29 de março, em Santa Bárbara, na região Central do Estado. Todos os suspeitos de envolvimento na morte da criança irão participar da reconstrução da cena do crime que será feita às 9h desta quarta.

A intensão é esclarecer todos os pontos que ainda estão em contradição, já que alguns suspeitos negam participação no crime. “Além de confirmar cada passo que eles deram no dia, ainda vamos tirar todas as duvidas em relação aos diferentes depoimentos dados por eles”, declara o delegado.    

As seis testemunhas que já foram ouvidas pela Polícia Civil também vão participar da reconstituição assim como os outros moradores da região.   

Entenda

A menina Giovanna brincava com o pai quando começou um tiroteio na avenida Lucinda Libânio, no bairro São Vicente, quando foi atingida. Lucas Vinícius da Silva, de 18 anos, que já foi detido oito vezes quando menor, tinha como alvo Diego Rafael Silva Ribeiro, de 21, que manteria um caso com a ex-namorada do atirador.

Ribeiro levou um tiro na perna, que acertou também a cintura da garota. A criança sofreu três paradas cardíacas, foi transferida para o Hospital de Pronto-Socorro João XXIII, na capital mineira, mas não resistiu aos ferimentos.

Inquérito

De acordo com as apurações, Silva, que se entregou no dia 3 de abril, na cidade vizinha de Barão de Cocais, fez uma ronda na avenida Lucinda Libânio, no bairro São Vicente, para verificar se a vítima realmente estaria lá, tendo passado pelo menos quatro vezes pelo local.

Mais tarde, Filipe Ferreira da Silva e Márcio Emanoel dos Santos retornaram com a motocicleta de Silva e o primeiro deles efetuou os diversos disparos após falar "você não está olhando na minha cara", falando com Diego Rafael Silva Ribeiro, de 21.

Prisão

Silva se entregou à polícia na cidade de Barão de Cocais. Ele negou ter envolvimento no caso, mas a Polícia Civil acredita que a motocicleta usada na fuga era dele.

Já Felipe e Márcio foram presos em um Barração no Aglomerado da Serra, na região Leste da Capital, durante operação conjunta entre Polícia Civil de Santa Bárbara e da capital, no dia 4 de abril. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave