Guaynabo Mets terá que superar dificuldades na preparação para Mundial

Treinador Javier Gaspar não possui seus armadores, que integram times da Europa; além disso ele divide oito jogadores do elenco com a seleção nacional

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Javier Gaspar tem apenas três dias da semana à disposição para treinar os Mets para o Mundial
Divulgação
Javier Gaspar tem apenas três dias da semana à disposição para treinar os Mets para o Mundial

Candidato a 'azarão' no Mundial de clubes de vôlei, marcado para acontecer no Mineirinho entre 5 e 10 de maio, o Guaynabo Mets, de Porto Rico, precisará se virar no período de preparação para chegar bem à capital mineira.

Tudo por conta do pequeno tempo à disposição para que o técnico Javier Gaspar monte seu elenco. Oito jogadores do time também fazem parte da seleção e o número de treinos semanais será diminuído. "As atividades devem acontecer às terças e quintas, como foi pedido pelo treinador David Alemán, de Porto Rico. Temos pouco tempo para trabalhar, pois temos muitos atletas à disposição da seleção. Ainda queremos adicionar mais um dia de treino para tentar compensar essa perda. Temos que tentar nos preparar da melhor forma para o Mundial", indica Gaspar, ao jornal Primera Hora.

Como a prioridade é da seleção nacional, os dias de folga, que se resumirão a apenas três na semana, serão usados para os treinos do Mets.

Além do pouco tempo, ele não pode contar com seus dois principais levantadores que, após o término da liga nacional, foram convidados para jogar na Europa. Uma oportunidade de ouro como esta não poderia ser desperdiçada por Ángel Perez e Fernando Morales, que foram atuar na Áustria e Rússia, respectivamente.

"Os dois ainda não estão conosco e isso me preocupa. Eles continuam fora do país e trata-se de um desafio em nossa preparação. Jorge de Jesús será nosso levantador neste período e já treina conosco. O segundo na posição será Arturo Iglesia, um dos jogadores mais jovens do elenco, que possui um grande talento e irá nos ajudar neste tempo de mãos atadas", coloca Gaspar.