Técnico do Uruguai aposta em Brasil e Espanha na Copa

Oscar Tabárez exaltou tradição brasileira no Mundial e a hegemonia alcançada pela Fúria nos últimos anos

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Oscar Tabárez espera que sua seleção reencontre o bom caminho no Brasil
AUF/REPRODUÇÃO
Oscar Tabárez espera que sua seleção reencontre o bom caminho no Brasil

O técnico Oscar Tabárez, que comanda a seleção do Uruguai, apontou nesta quarta-feira que Espanha e Brasil são os favoritos para ganhar a Copa do Mundo, que começa daqui a menos de dois meses. O treinador, que concedeu entrevista coletiva para falar com a imprensa estrangeira, disse que acredita que a competição terá uma zebra como foi sua própria seleção há quatro anos.

"A Espanha está aí (na liderança do ranking da Fifa) porque foi maravilhoso o que conseguiu em termos de resultado. Se jogou todas as partidas que jogou nos últimos quatro anos e está sempre em primeiro do ranking, porque não faria o mesmo no Mundial?", observou o treinador, em pergunta retórica.

Tabárez aposta também que o Brasil chega como forte candidato a desbancar os líderes do ranking. "Se alguém fala de futebol e de uma Copa, a primeira palavra que me vem a cabeça é Brasil. É quem mais ganhou Copas, tem uma grande tradição no futebol. Além disso, joga em casa e não tem nenhum problema de adaptação ao clima, como terão os países europeus".

O treinador reconhece, porém, que Copas do Mundo não tem seus resultados definidos previamente. E lembra que praticamente todo Mundial tem um time que chega muito mais longe do que se esperava. "Sempre existe uma surpresa, uma atuação que não está no cálculo dos entendidos. Mas uma surpresa assim nunca ganhou uma Copa."

Questionado se o Uruguai entra como favorito, Tabárez evitou afirmar, mas indicou que não. "Por que o Uruguai deveria ganhar a Copa? Teríamos que encontrar uma bateria de argumentos sólidos para dizer isso. Em que base poderíamos dizer isso? Com base na grande população que temos? Com base no grande número de atletas que temos?", questionou, ironicamente.

Sobre o grupo que o Uruguai caiu na primeira fase, tendo que enfrentar Inglaterra e Itália, outras duas campeãs mundiais, Tabárez afirmou que preferiu não admitir que sua seleção é zebra.

"Não vamos ao Mundial com a mentalidade de que Itália e Inglaterra são mais poderosos em todos os aspectos, senão vamos como vencidos. Vamos deixar tudo para dentro do campo, sem um resultado prévio nas nossas cabeças e com a expectativa de ganhar que tem todos os esportistas", argumentou.

Leia tudo sobre: uruguaioscar tabareztecnicobrasilespanhacopa do mundo