Decisão só na véspera da eleição

iG Minas Gerais |

Brasília. Relator do parecer favorável à admissibilidade do processo contra André Vargas (PT-PR), o deputado Júlio Delgado (PSB-MG) criticou nessa terça, a manobra regimental adotada pelo colega Zé Geraldo (PT-PA), que, com um pedido de vista, adiou a discussão. Nos cálculos do mineiro, com o adiamento da discussão, a tendência é que o parecer final, em que poderá constar um pedido de cassação de Vargas, seja votado apenas na véspera das eleições de outubro.

O parecer pela admissibilidade discutido ontem na Comissão não trata da questão de mérito mas apenas se o processo deve ter continuidade, ou não, no colegiado.

Após o início da sessão, o deputado Zé Geraldo pediu vista (mais prazo para análise do processo). Em seguida, o presidente do Conselho, Ricardo Izar (PSD-SP), determinou que o colegiado voltasse a se reunir apenas no dia 29.

“No dia da designação da relatoria, nós dissemos que, dependendo do andamento que eles iam dar a esse procedimento, a gente poderia terminar antes do início da Copa do Mundo e até o recesso parlamentar, que é dia 18 de julho. Já no primeiro momento, que é o da admissibilidade, há um pedido de vista, que é um pedido protelatório”, afirmou Delgado após a sessão.

Nos cálculos dele, a discussão do parecer final pode ocorrer apenas na véspera das eleições de outubro. Antes do pedido de vista feito por Zé Geraldo, o relator apresentou o parecer para que o processo prosseguisse em discussão no colegiado.

“Há reportagens que relacionam a ele os fatos narrados, e, ao menos em tese, o fornecimento de informações privilegiadas pode constituir ato incompatível ao decoro parlamentar”, afirmou Delgado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave