Jubileu de prata da família amarela

Série de maior sucesso da TV dos EUA estreia 25ª temporada de “Os Simpsons” no Brasil

iG Minas Gerais | fabiano fonseca |

Visita. Na nova temporada, quinteto volta ao Brasil durante a Copa
fox
Visita. Na nova temporada, quinteto volta ao Brasil durante a Copa

Programa de animação do horário nobre com mais tempo no ar, série norte-americana com número recorde de episódios, 28 prêmios Emmy, um longa-metragem e uma coleção de milhões de fãs mundo afora. Os números de “Os Simpsons” não são brincadeira.

Prova disso é que a família amarela protagoniza mais um ano de irreverência e ironia com a estreia, aqui no Brasil, da 25ª temporada de “Os Simpsons”, neste domingo, às 21h30, na Fox. Nos Estados Unidos, o vigésimo quinto ano do seriado deu largada em 29 de setembro de 2013.

“A audiência e a classificação são boas, então, não posso ver por que não iria à 30ª... E, por que não, podemos ir para uma 40ª ou mesmo uma 50ª”, disse ao jornal “The Telegraph” Al Jean, produtor executivo do seriado, otimista quanto até onde Homer, Marge, Bart, Liza e Maggie podem chegar nos lares norte-americanos e de todo o mundo. Se vai chegar a 30, 40 ou 50 temporadas, não se sabe, mas a 26ª já está garantida.

De volta ao Brasil. Para os fãs brasileiros, a nova temporada de “Os Simpsons” tem um atrativo a mais: Homer e companhia voltam a desembarcar no Brasil. Há 12 anos, Matt Groening – criador da série –, seus roteiristas e, claro, a família Simpson causaram um alvoroço por aqui com o episódio “Feitiço de Liza”, da 13ª temporada.

Naquela ocasião, os Simpsons visitaram o Rio de Janeiro para Liza encontrar com um garoto órfão que ela ajudava à distância. Na Cidade Maravilhosa, a família encontrou favelas coloridas “para agradar aos estrangeiros”, assim como os ratos que corriam pelas comunidades. A cidade também foi retratada como um local de mulheres gostosas (até em programas infantis), cobras e macacos perambulando pelas ruas, dinheiro gay e sequestros relâmpagos corriqueiros – Homer foi uma vítima.

O episódio incomodou o então presidente Fernando Henrique Cardoso, a Secretaria de Turismo do Rio e outros mal-humorados.

Agora, eles estão de volta. No episódio “You Don’t Have to Live Like a Referee” (Você não precisa viver como um árbitro, em tradução livre), o quinteto vem ao país durante a Copa do Mundo. Visto como um exemplo de honestidade, Homer é convidado para apitar jogos do Mundial.

Se há 12 anos os Simpsons abusaram da ironia para retratar o país, nesta segunda visita o tom de crítica é mais ameno – o que não significa que a ironia não esteja lá.

Para começar, a família viaja em uma companhia aérea chamada Air Brasília, que tem como símbolo um macaco. As ironias, porém, vão a um patamar mais generalizado, ao colocar a Fifa, o Mundial e o futebol na mira ácida da animação. Ao longo do episódio, Homer tenta se esquivar de tentativas de suborno de mafiosos sul-americanos e até de jogadores espanhóis para manipular resultados durante a competição. O episódio também faz uma irônica referência a Neymar, retratado como El Divo, craque brasileiro mestre em se jogar em campo.

Em se tratando de “Os Simpsons”, não seria comum uma tentativa de amenizar as polêmicas geradas pela primeira visita ao Brasil. De qualquer forma, o episódio pega leve ao mostrar a preocupação de Marge em aprender português “para evitar os problemas da última viagem”, passagens por Recife, Manaus e Brasília, além de um jantar tranquilo no restaurante Figueira Rubayat, em São Paulo. Na capital paulista, Homer até declara seu amor pelo país: “Ah Brasil! Eu até poderia viver aqui se não fosse por aquele peixe que entra no seu canal de fazer xixi”.

Em uma clara forma de promover a Copa do Mundo – a Fox detém os direitos de transmissão do Mundial –, o episódio vai ao ar por aqui no dia 8 de junho, na semana de abertura da competição. Resta aguardar para ver quem ficará incomodado.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave