Mercado prevê inflação no país acima do teto da meta

IPCA fechará ano em 6,51%; há um mês previsão era 6,28%

iG Minas Gerais |

Brasília. Pela primeira vez no ano, a projeção para a inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2014 estourou o teto da meta – limite definido em 6,5% pelo governo. Segundo o boletim Focus, que é divulgado pelo Banco Central, a estimativa saltou de 6,47% para 6,51% entre uma semana e outra. Há um mês, a estimativa era de 6,28%. Já para 2015, a previsão ficou estável no patamar de 6%. Há quatro semanas, a expectativa era de 5,80%.  

A previsão de inflação para os próximos 12 meses à frente subiu de 6,12% para 6,07%, conforme a projeção suavizada para o IPCA. Há quatro semanas, esse índice estava em 6,20%.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções – o chamado Top 5 da pesquisa Focus – , a previsão para o IPCA em 2014 no cenário de médio prazo também estourou o teto da meta ao passar de 6,49% para 6,59%. Para 2015, a previsão dos cinco analistas recuou de 6,27% para 6,00%. Há quatro semanas, o grupo apostava em altas de 6,57% para 2014 e 6,00% para 2015.

Entre todos os analistas ouvidos pelo BC, a mediana das estimativas para o IPCA de abril aumentou de 0,69% para 0,80%. Há quatro semanas, estava em 0,60%. Para o mês de maio, a projeção subiu de 0,45% para 0,47%.

PIB. A previsão de crescimento da economia brasileira em 2014 recuou de 1,65% para 1,63%. Há um mês, a expectativa era de 1,70%. Para 2015, a estimativa de expansão se manteve em 2,00% – mesmo índice há oito semanas.

A projeção para o crescimento da indústria em 2014, no entanto, apresentou aceleração. Ele passou de 0,70% para 1,40%. Para 2015, economistas mantiveram a previsão em 2,95%. Quatro semanas antes, a Focus apontava estimativa de expansão de 1,41% para 2014 e de 3,00% em 2015 para o mesmo setor.

Juro. Os economistas mantiveram a previsão para a taxa Selic no fim de 2014 em 11,25% ao ano. Há um mês, a previsão era a mesma.

Já para 2015, a mediana segue em 12,00% ao ano há dez semanas. A taxa básica de juros está em 11,00% ao ano desde a última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), que aconteceu em abril.

A previsão para a Selic média em 2014 ficou estável em 11,06%. Para 2015, passou de 12,01% para 12,00%. Há quatro semanas, estavam em 10,94% e 11,83% ao ano, respectivamente.

Nas estimativas do grupo dos analistas consultados que mais acertam as projeções, a previsão para a Selic no fim de 2014 ficou estável em 11,88% ao ano e, para 2015, permaneceu em 13% pela terceira semana consecutiva. Há quatro semanas a projeção era, respectivamente, 11,75% ao ano e 12,00%.

O que é Focus. Divulgado pelo Banco Central, o boletim é um relatório de mercado publicado semanalmente com as previsões de cerca de cem analistas sobre indicadores da economia.

Superávit comercial tem estimativa de aumento BRASÍLIA. Na mesma pesquisa Focus, os economistas elevaram ligeiramente a estimativa de superávit comercial em 2014. Ele passou de US$ 3,00 bilhões para US$ 3,02 bilhões. Quatro semanas antes, estava em US$ 4,71 bilhões. Já para 2015, a projeção se manteve em US$ 10,00 bilhões, ou seja, o mesmo valor de sete semanas atrás. A pesquisa mostrou ainda que as estimativas para o ingresso de Investimento Estrangeiro Direto (IED), ou seja, aquele que é voltado ao setor produtivo, ficou estável em US$ 60 bilhões em 2014 pela segunda semana consecutiva. Para 2015, segue em US$ 55 bilhões – mesmo valor registrado pelo boletim há sete semanas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave