Artistas criam imagem para sensibilizar operadores de drones

A região de Khyber Pykhtoonkwha é alvo frequente de ataques com drones que, em tese, buscam atingir aqueles que Washington chama de "terroristas"

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

As crianças da região auxiliaram os artistas na montagem da instalação
Divulgação
As crianças da região auxiliaram os artistas na montagem da instalação

Um grupo de artistas de vários países viajou para uma região do Paquistão para montar lá uma instalação de arte na esperança de "humanizar" operadores de aviões militares não tripulados dos Estados Unidos, conhecidos como drones.

Na província de Khyber Pukhtoonkhwa, entre barracos e plantações de alimentos, os artistas desenrolaram um pano com 30 x 20 metros contendo a imagem de uma menina. A ideia é que o rosto da criança possa ser identificado do céu.

A região de Khyber Pykhtoonkwha é alvo frequente de ataques com drones que, em tese, buscam atingir aqueles que Washington chama de "terroristas". Os ataques, no entanto, já tiraram as vidas de centenas de civis - segundo estimativas de organizações humanitárias.

O coletivo de artistas espera gerar empatia e introspecção entre os operadores dos aviões não tripulados e incentivar o diálogo entre políticos que ordenam os ataques para que aja uma mudança de opinião. O objetivo final é que "se salvam as vidas de inocentes".

Insetos Esmagados

As crianças da região auxiliaram os artistas na montagem da instalação. O grupo de artistas atende pelo nome de Inside Out Project e a iniciativa foi batizada de "Not a Bug Splat", em tradução livre, "Sem Inseto Esmagado".

É que do ponto de vista de um operador de um drone, que trabalha sentado em um sala fechada, pilotando um avião não tripulado com base em imagens transmitidas por uma câmera instalada na aeronave, os alvos humanos tomam a forma de pequenos pontos manchados.

Quando o projétil atinge o alvo, o efeito na tela é como o de um inseto esmagado contra o para-brisa de um carro. Isso deu origem ao jargão usado hoje pelo Exército americano para se referir aos alvos: insetos esmagados.

No início do ano, um estudo do Departamento de Defesa dos Estados Unidos concluiu que os pilotos de drones estavam desenvolvendo transtornos mentais semelhantes aos que afligem soldados que atuam em território inimigo - como estresse pós-traumático, depressão e ansiedade.

Acredita-se que esta seja a razão pela qual, quando os operadores acertam um alvo, refiram-se a ele como "inseto esmagado". Isso seria uma tentativa de estabelecer uma distância emocional em relação ao que acaba de fazer.

Há relatos, também, de que alguns programas de computador usados pelo governo americano para avaliar números de baixas se referem às pessoas atingidas como "manchas de insetos".

Saldo Humano

Calcula-se que 900 adultos e 330 crianças tenham sido mortos em ataques por drones no Paquistão.

Segundo o projeto Inside Out, o rosto colocado na instalação em Khyber Pykhtoonkwha é de uma órfã que perdeu os pais e dois irmãos em um desses ataques.

A esperança do grupo é que o operador de um avião não tripulado que está a ponto de lançar seu projétil veja a imagem da criança inocente e comece a refletir sobre o que está fazendo.

"Agora, quando (a imagem) aparecer pela câmera de um drone, o que o operador verá não será um ponto anônimo no horizonte, mas o rosto de uma vítima inocente", escreveu o coletivo de artistas em sua página na internet.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave