Casa de policial militar é incendiada com coquetel molotov

Crime teria sido uma retaliação pela morte de um jovem de 18 anos, morto em uma troca de tiros entre bandidos e policiais no último sábado (19)

iG Minas Gerais | LUCAS SIMÕES |

Após receber várias ameaças de morte, um policial militar teve a casa incendiada no fim da manhã deste domingo (20), em Ubá, na Zona da Mata. O crime aconteceu no bairro Talma, que foi palco de uma série de protestos no fim de semana, após a morte de um adolescente de 18 anos, baleado na cabeça durante uma troca de tiros entre militares e bandidos no sábado (19). Para a Polícia Militar (PM), o incêndio é uma retaliação pela morte do jovem.

Segundo o capitão José Procópio, coordenador de comunicação do 21º Batalhão de Polícia Militar de Ubá, o militar, que não teve a patente revelada, foi ameaçado por populares, que organizaram vários protestos com faixas pedindo "justiça" pelas ruas da cidade. Além disso, o oficial também recebeu ligações anônimas no sábado fazendo ameaças de morte a sua família. "Ele (o militar) não participou da operação que acabou na morte do jovem, sofreu uma retaliação por ser militar e morar no bairro", disse o capitão.

A casa do militar foi incendiada por volta das 10h de domingo. Segundo a PM, os principais suspeitos são um adolescente de 16 anos e um jovem de 20, que não foi identificado até o momento. Os dois teriam ateado um coquetel molotov pela janela da casa do militar. Apesar disso, o oficial e sua família não estavam em casa no momento do incidente. "Ele está na casa de parentes desde o fim de semana, quando começaram as ameaças", esclareceu o capitão Procópio.

O Corpo de Bombeiros foi acionado por militares e utilizou três caminhões para apagar as chamas, que danificaram parte da sala e do quarto do policial, além de equipamentos eletrônicos, como um televisão de 29 polegadas, um DVD e o computador pessoal do militar. Até o momento, a PM ainda faz buscas pelos suspeitos, que são moradores do bairro Telma, mas ainda não foram identificados.

CONTEXTO

No último sábado (19), uma operação da Polícia Militar resultou na morte de um jovem de 18 anos, que não foi identificado pela polícia.  Segundo a versão da PM, o rapaz estava armado com um revólver calibre 38 durante a operação e foi orientado pelos militares a não reagir à abordagem. Apesar disso, o jovem teria tentado disparar contra os policiais, que revidaram a ação atingido a vítima com um tiro na cabeça.

Porém, segundo a PM, a arma do jovem mascou e ele não chegou a disparar. O jovem foi socorrido por vizinhos para o Hospital Municipal Santa Isabel, mas morreu antes de chegar à unidade de saúde. Revoltados, moradores quebraram duas viaturas da PM com pedradas. O militar responsável pelo disparo está preso no 21º Batalhão de Polícia Militar de Ubá e vai responder procedimento administrativo sobre o caso.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave