Dispositivo é capaz de traduzir latidos de cães em frases

Sensores conectados à cabeça do cachorro são capazes de captar as ondas cerebrais e traduzi-las em diálogos com o seu dono

iG Minas Gerais | Lorena K. Martins |

O dispositivo é semelhante à coleira usada pelo cachorro Dug no filme Up! Altas Aventuras, de 2009
Reprodução
O dispositivo é semelhante à coleira usada pelo cachorro Dug no filme Up! Altas Aventuras, de 2009
Quem já assistiu ao filme "Up - Altas Aventuras" (2009) provavelmente teve um desejo imenso de que o seu cachorro de estimação fosse como o Dug, um Golden Retriever que, com a ajuda de um aparelho preso ao pescoço, consegue falar e até estabelecer diálogo com uma pessoa. Como é de praxe, a vida, agora, parece imitar a arte: um dispositivo semelhante a esse  deve, em breve,  fazer parte da humanidade, sem que os donos precisem jurar, de pé juntos, que entendem perfeitamente o que está por trás dos latidos do seu cão de estimação.   O  projeto que dará voz, de fato, aos cachorros, iniciado pela empresa tecnológica Indiegogo, promete elevar a conexão entre os humanos e seus pets a um nível no mínimo interessante. Trata-se do "No more Woof", ao pé da letra algo do tipo "latidos nunca mais", um dispositivo que, quando colocado na cabeça de um cachorro, consegue traduzir o que ele está pensando e “falando” em uma linguagem humana.   Para funcionar, o "No More Woof" conta com uma série de sensores que medem os padrões da atividade cerebral do cão, suas necessidades e como se expressam. Todos os pensamentos são traduzidos em frases bem curtas como “estou com fome”, “estou entediado”, e emitidas em um alto-falante, que também fica próximo à cabeça do cachorro.   Em um primeiro momento, o dispositivo - que por enquanto está sendo testado só entre cães e sem interferência de humano - não irá fazer com que aconteça um "papo cabeça" com o seu pet, mas dará pistas de como ele se sente. Segundo a página do projeto, a versão mais simples do dispositivo, que custará US$ 65 (aproximadamente R$ 150), é capaz de identificar apenas padrões simples como cansaço, fome e curiosidade, coisas quem um bom dono já percebe naturalmente. Outras versões já estão sendo testadas e, de acordo com o Indiegogo, resultados maiores para traçar um bom papo a dois poderão aparecer dentro de um ano.    Confira acima um vídeo do dispositivo sendo testado em cães. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave