Palmeiras joga mal, mas vira no fim em Criciúma

Placar não refletiu garra dos donos da casa em campo, que ainda tiveram um pênalti claro não marcado

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

O Palmeiras achou três pontos neste domingo, no Heriberto Hülse, na sua volta à Série A. Apesar de fazer uma partida ruim contra o Criciúma, praticamente sem criar chances de gol por 75 minutos a equipe alviverde contou com a ajuda providencial do zagueiro Escudero, que enfiou a cabeça num chute de Leandro, aos 37 do segundo tempo, e conseguiu a virada aos 42, com Alan Kardec, vencendo por 2 a 1.

O placar foi injusto não apenas porque o Criciúma jogou melhor, mas também porque o árbitro André Luiz de Freitas Castro deixou de dar um pênalti claríssimo de Tiago Alves, que fez falta e colocou a mão na bola no mesmo lance. Além disso, Fernando Prass fez pelo menos três grandes defesas.

Sem jogos da Copa do Brasil no meio da semana, o Palmeiras começa a pensar no Fluminense, rival do próximo sábado, no Pacaembu. Já o Criciúma visita o Goiás, no domingo, em jogo marcado para acontecer em Itumbiara (GO), uma vez que o rival perdeu mandos de campo no fim do Brasileirão passado.

O JOGO - Com dores musculares, Wesley começou no banco no time do Palmeiras. Com Josimar no lugar dele, a equipe paulista perdeu poder ofensivo. E foi exatamente o volante quem fez, em Silvinho, a falta que originou o gol do Criciúma. Paulo Baier levantou, Lúcio resvalou, Prass foi mole para o lance e aceitou. O árbitro, porém, marcou gol para o jogador catarinense.

Pouco depois, o Palmeiras teve a chance de empatar. Bruno bateu roupa, mas Marcelo Oliveira mandou para a lua, na cara do gol. Na defesa, mais erro: Tiago Alves errou no recuo de bola, Silvinho se antecipou, driblou Prass, mas Wendel salvou.

Apoiado por uma bonita festa da sua torcida, o Criciúma mandava no jogo e poderia ter ido para o intervalo com placar mais elástico, uma vez que no fim do primeiro tempo Silvinho perdeu uma chance cara a cara com Fernando Prass.

Sentindo que o time da casa dominava o meio-campo, Gilson Kleina mexeu, colocando em campo Wesley e Leandro, os dois titulares poupados - o atacante passou a semana na seleção sub-21. O Palmeiras, entretanto, demorou a melhorar.

E poderia ter tomado o segundo gol não fosse um erro gritante do árbitro André Luiz de Freitas Castro. Num lance só, Tiago Alves acertou uma voadora na barriga de Silvinho e ainda socou a bola. Pênalti óbvio, que só o juiz não viu, levando Paulo Baier à loucura.

Fernando Prass também não permitiu que o Criciúma fizesse o segundo, com duas grandes defesas, uma num chute de Eduardo e outra em cabeceio de Fábio Ferreira, no escanteio seguinte.

O Palmeiras decidiu jogar bola por 15 minutos e acabou conseguindo a vitória. Aos 37, Leandro arriscou de longe, Escudero colocou a cabeça na bola sem justificativa e tirou do alcance de Bruno. Depois, aos 42, Wesley bateu falta e Alan Kardec subiu absolutamente sem marcação para virar de cabeça.