Beleza pura

iG Minas Gerais |

douglas magno
undefined

A relações públicas Fernanda Mol, 27, começou cedo a imprimir desenhos sobre a pele. “Fiz minha primeira tatuagem aos 16 anos, uma estrela com uns arabescos no ombro. Sempre tive vontade de fazer uma tatuagem, mas minha mãe não deixava. Um dia, ela foi ao estúdio e se tatuou para ver como era. Depois me deixou fazer a minha”, lembra.

Hoje, com nove desenhos pelo corpo, Fernanda encara sua pele como uma tela para ser preenchida pelos artistas da tatuagem. “Sempre gostei de artes e de desenho. Eu mesma não sou muito boa, mas se tem vários ‘caras’ bons e que podem fazer desenhos bonitos no meu corpo, é claro que eu quero”, afirma ela, que costuma deixar os artistas livres para criar. “Digo o lugar que quero tatuar e o tipo de traço que me agrada, aí ele cria o que achar melhor”. (RS)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave