Pole, Hamilton diz que poderia ser mais rápido no treino

"Na volta em que fiz a pole, eu perdi algum tempo, então há alguma coisa ainda para vir", declarou o piloto da Mercedes

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Lewis Hamilton superou seu companheiro de equipe Nico Rosberg, segundo colocado
Reprodução/Facebook
Lewis Hamilton superou seu companheiro de equipe Nico Rosberg, segundo colocado

Lewis Hamilton cravou a pole position no GP da China de Fórmula 1 neste sábado com seis décimos de vantagem sobre o segundo mais rápido, o australiano Daniel Ricciardo. Apesar da boa diferença, o piloto inglês acredita que poderia ter sido ainda mais veloz no Circuito de Xangai.

"Na volta em que fiz a pole, eu perdi algum tempo, então há alguma coisa ainda para vir", declarou o piloto da Mercedes, que não chegou a ser ameaçado na disputa final do Q3. "Espero que eu consiga converter a pole em uma forte performance na corrida de amanhã", projetou.

O bom desempenho deste sábado aconteceu sob chuva, depois que os pilotos estavam mais preparados para andar na pista seca, condições dos treinos livres de sexta-feira. "Com certeza é a maior satisfação sair com a pole nestas condições porque a pista ficou muito escorregadia e foi difícil encontrar uma boa aderência", avaliou o inglês.

O mau tempo, porém, dará lugar ao sol em Xangai neste domingo, de acordo com as previsões. A mudança preocupa porque a maior parte dos carros ficou com acerto para chuva. "Vamos para a corrida em um terreno um pouco desconhecido. Fizemos muitas mudanças no carro desde sexta, mas não tive a chance de testá-lo no seco novamente", ponderou.

Na largada, pelo menos, Hamilton não terá a mesma preocupação das últimas etapas. Seu companheiro de Mercedes, Nico Rosberg, foi mal no treino e só conseguiu o quarto lugar. Ricciardo sairá em segundo e o alemão Sebastian Vettel será o terceiro no grid.

Rosberg vai largar do quarto posto porque teve problemas durante o Q3 e chegou a rodar na pista. "Eu tive dois problemas principais hoje. Não fiquei totalmente satisfeito com o comportamento dos freios, o que me fez travar e sair da pista na minha volta rápida", explicou o piloto, líder do campeonato.

Na sequência, o alemão teve que se virar com um problema no volante do carro. "Eu estava meio segundo mais rápido indo para a última curva, mas meu tempo no visor do volante dizia que eu era dois décimos mais lento. Então, assumi um grande risco e acabei saindo da pista porque pensei equivocadamente que não havia nada a perder", lamentou.

Leia tudo sobre: hamiltonmercedesf1xangaitreino