Encontrado corpo de dona de casa assassinada por vizinho

Familiares, que ainda tinha esperança de encontrar a mulher viva, agora estão revoltados com ação do assassino, que morava na mesma rua da vítima

iG Minas Gerais | JOSÉ VÍTOR CAMILO |

SUPER 
Foto para a secao
SUPER Foto para a secao " Por Onde Anda " ANA LUCIA FOTO : Divulgacao / Policia Civil

Foi encontrado, na tarde desta sexta-feira (18), o corpo da dona de casa Ana Lucia Pires do Nascimento, de 59 anos, morta pelo vizinho no bairro Vale das Amendoeiras, em Contagem, na região metropolitana de Belo Horizonte. O suspeito, Mário do Carmo Bizerra Caula, de 38, confessou o crime nesta quinta-feira (17) e indicou que havia enterrado o corpo no aterro sanitário do bairro Parque São João, onde o corpo acabou sendo localizado pelo Corpo de Bombeiros.

A família denunciou o desaparecimento da mulher na última terça-feira (15) à tarde. Após confeccionarem um Boletim de Ocorrência e percorrer diversos hospitais, os parentes procuraram a Delegacia Especializada de Pessoas Desaparecidas que iniciou uma investigação.

O suspeito foi preso na manhã de quinta, após a Polícia Civil (PC) receber uma denúncia anônima indicando a casa onde o crime teria sido cometido. Caula foi detido em sua residência e confessou que estuprou e assassinou a mulher, além de ter alegado que sofria de problemas mentais.

Desde a confissão na manhã de quinta, o Corpo de Bombeiros iniciou uma busca minuciosa no local, que, por receber várias toneladas de lixo, dificultou bastante na localização. O corpo só foi encontrado por volta das 13h30 desta sexta.

Revolta

Após receberem a notícia de que o corpo de Ana Lucia havia sido encontrado, os familiares perderam a esperança que ainda existia de encontrar a mulher ainda viva. "Enquanto não havia corpo, a gente ainda tinha esperança. A gente não queria que fosse desta forma, mas Deus está confortando a família. Agora é levantar a cabeça e seguir em frente", lamentou o filho dela, que preferiu não ser identificado.

Ainda conforme o familiar, o autor do crime não era conhecido da família, mas já tinha sido visto por eles, uma vez que vive na mesma rua da família da vítima. "Ele não tinha motivo para fazer isso, não a conhecia. Fez por fazer. Diz que é doido, mas eu não acredito nisso", revoltou-se o filho.