Perto de sair do Galo, Richarlyson pode ir para Goiás ou Figueirense

Jogador encerra contrato com o Atlético no final de abril e não renovará. Perto de recuperação de lesão no joelho, ele tem que definir futuro ainda

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

Richarlyson se diz muito feliz com a possibilidade de confirmar o título com a camisa do Galo
BRUNO CANTINI/ DIVULGAÇÃO ATLÉTICO
Richarlyson se diz muito feliz com a possibilidade de confirmar o título com a camisa do Galo

Não se sabe qual time Richarlyson defenderá após sua despedida do Atlético. Mas o jogador tem o interesse forte de duas equipes do Campeonato Brasileiro 2014. Goiás e Figueirense já fizeram contatos com o empresário do jogador, Julio Fressato, mas ainda não foi feita nenhuma oferta formal.

Ricky sairá do Atlético no final deste mês. A partir do dia 30 de abril, ele não é mais jogador do Atlético. A diretoria do Galo já adiantou que não tem intenção de ficar com o jogador, que se machucou na temporada passada e segue em fase final da recuperação do rompimento dos ligamentos de seu joelho esquerdo.

"Ainda não tem nada oficial, posso dizer apenas que há clubes interessados no jogador. O Goiás e o Figueirense estão interessados. São clubes organizados, que disputam a Série A. Mas vamos aguardar, não posso garantir nada ainda", afirmou o agente, ao Super FC.

O contrato de Richarlyson com o Atlético teria previsão de se finalizar em dezembro de 2013. Mas, por lei, o clube não pode dispensar um jogador lesionado. Foi preciso adiar o fim do vínculo de forma com que o atleta se recuperasse. E ele teve toda a estrutura da Cidade do Galo à sua disposição. "Só temos que agradecer o Atlético, foi uma honra para o jogador trabalhar no clube. Agora é seguir a vida, o futebol é assim. Não temos nada a reclamar", disse Fressato.

Desvalorização? Richarlyson nunca chegou a ser unanimidade no Atlético, por parte da torcida, mas tinha um status de atleta caro, pois havia sido disputado pelo Fluminense após não ficar no São Paulo. Questionado sobre o interesse de Goiás e Figueirense, equipes de expressão inferior ao do Galo, o empresário do lateral/volante disse que, hoje, o importante para o jogador é trabalhar em equipes bem arrumadas e que possam cumprir com suas obrigações.