Alonso se aproxima, mas Hamilton lidera treinos livres

Equipe da Mercedes manteve a força, com o inglês chegando na frente, mas seguido de perto pelo piloto da Ferrari

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Lewis Hamilton mostra força da Mercedes em Suzuka, no Japão
PÁGINA OFICIAL/FACEBOOK/REPRODUÇÃO
Lewis Hamilton mostra força da Mercedes em Suzuka, no Japão

A Ferrari até se esforçou na madrugada desta sexta-feira, mas foi a Mercedes quem liderou os treinos livres do GP da China de Fórmula 1, no Circuito de Xangai. O inglês Lewis Hamilton foi o mais rápido do dia, com o tempo de 1min38s315, deixando para trás o espanhol Fernando Alonso, surpresa do dia ao cravar o melhor tempo da sessão inicial e ficar em segundo no treino seguinte.

Ao marcar 1min38s456 na segunda sessão, Alonso deixou para trás até Nico Rosberg, atual líder do campeonato. O piloto alemão também foi superado pelo rival da Ferrari no primeiro treino desta sexta - 1min39s783 contra 1min40s181. O desempenho aumentou a expectativa sobre o desempenho da equipe italiana, que decepcionou no GP do Bahrein, com apenas o nono (Alonso) e o décimo tempo (Kimi Raikkonen).

A liderança do espanhol no primeiro treino livre foi a primeira surpresa desta temporada, após três corridas disputadas. Até então a Ferrari vinha sendo superada com facilidade pela dupla da Mercedes, que lidera o campeonato. O bom desempenho, confirmado com a segunda posição no segundo treino livre, se deve em parte às mudanças que a equipe fez na parte traseira do carro.

A primeira sessão na China teve início sob uma forte névoa, mistura de neblina com a poluição local. Sem maiores incidentes, o treino foi marcado ainda por escorregadas de Rosberg e Pastor Maldonado, que rodou na pista e quase bateu. Outra novidade foi a participação do brasileiro Felipe Nasr, na sessão.

Substituindo o finlandês Valtteri Bottas, o reserva da Williams completou apenas 13 voltas e registrou o 13º tempo, com 1min42s265. O titular Felipe Massa foi um pouco mais rápido, com a 10ª marca: 1min41s699. Alguns pilotos reclamaram da falta de aderência dos pneus Pirelli nesta primeira sessão, já que a pista ainda não estava emborrachada.

Destaque deste início de temporada, Hamilton conseguia apresentar bom desempenho em Xangai até passar a ter problemas com a suspensão de sua Mercedes. A falha no carro limitou sua sessão a apenas nove voltas. Mesmo assim, acabou em oitavo, com 1min41s560, mais de meio segundo atrás do companheiro Nico Rosberg.

A situação se inverteu na segunda sessão do dia. Com os problemas solucionados, o piloto inglês cresceu na pista e não deu chances aos rivais. Rosberg, por sua vez, ficou novamente atrás de Alonso, que confirmou a boa performance da Ferrari na China. Em Xangai, a equipe italiana estreou sem novo chefe de equipe, Marco Mattiacci, substituto de Stefano Domenicali.

Em terceiro, Rosberg ficou logo à frente dos carros da Red Bull, dando sinais de reação na temporada. O australiano Daniel Ricciardo (1min38s811) voltou a ficar na frente do tetracampeão Sebastian Vettel (1min39s015).

O sexto mais rápido da sessão, e do dia, foi Felipe Massa. O brasileiro ficou perto de Vettel, com o tempo de 1min39s118. Seu companheiro Valtteri Bottas (1min39s830) foi apenas o 14º. Massa foi seguido de perto por Raikkonen (1min39s283). O inglês Jenson Button (1min39s491), o francês Romain Grosjean (1min39s537) e o russo Daniil Kvyat (1min39s648).

Leia tudo sobre: formula 1hamiltonalonsoferrarimercedesxangaigp da china