Menina de 6 anos é resgatada de balsa que afundou na Coreia

Ainda há quase 300 pessoas desaparecidas no local; foram encontrados os corpos de 18 pessoas

iG Minas Gerais |

Naufrágio. Quase 500 pessoas estavam dentro de barca que mudou de curso, tombou e afundou deixando quase 300 desaparecidos
Ahn Young-joon
Naufrágio. Quase 500 pessoas estavam dentro de barca que mudou de curso, tombou e afundou deixando quase 300 desaparecidos

Seul, Coreia do Sul. Uma menina de 6 anos de idade foi resgatada nessa quinta da balsa Sewol, naufragada na Coreia do Sul. Kwon Ji-Yeon estava viajando com os pais quando um navio que levava 477 pessoas, sendo que cerca de 325 eram estudantes em uma excursão do colégio, tombou e afundou na quarta-feira.

A grande maioria dos desaparecidos, por outro lado, não teve a mesma sorte da criança, os pais de Kwon entre eles. Enquanto a menina era levada para o hospital, continuaram, durante todo o dia dessa quinta, os esforços de buscas e resgate próximo à ilha turística de Jeju, destino final da balsa.

Durante a noite de quarta, as equipes de resgate chegaram a ter que suspender a operação devido às condições do clima. A presidente Park Geun-Hye seguiu para o local da tragédia e pediu aos mergulhadores que prosseguissem com os trabalhos. A chance de se localizar sobreviventes sob o casco da balsa, em bolsões de ar, é cada vez menor.

“O tempo está acabando. Por favor, tenham pressa. Se existem sobreviventes, cada minuto e cada segundo são críticos”, disse a presidente sul-coreana.

As autoridades temem que centenas de pessoas tenham ficado presas na balsa que virou e afundou perto da ilha de Byungpoong em apenas duas horas após o envio do primeiro sinal de socorro. Até o fechamento desta edição, as equipes de buscam haviam encontrado 25 corpos.

Mensagens. Ao longo do dia dessa quinta, parentes das vítimas receberam mensagens dando notícias. “Pai, não se preocupe, tenho um colete salva-vidas e estamos todos abrigados juntos”; “Mãe, eu te amo, pode ser a última vez que eu consiga te dizer isso”; “Parece que vamos morrer”. A divulgação dos torpedos de alguns dos estudantes a bordo da balsa comoveu o país.

Alguns dos sobreviventes disseram que a tripulação ordenou a todos que ficassem em seus lugares durante aproximadamente uma hora, em vez de iniciar os procedimentos de salvamento. Um dos que seguiram as ordens é o estudante de 18 anos que enviou a mensagem para o pai, e provavelmente não conseguiu escapar. Ele é um dos desaparecidos. “Ainda que o resgate esteja em andamento, tente sair por sua conta, se puder”, respondeu o pai.

Capitão. Enquanto as causas do acidente ainda são uma incógnita, parentes das vítimas criticaram o capitão Lee Joon-seok, 69, que saiu vivo do naufrágio e teria sido um dos primeiros a abandonar a embarcação. Segundo seu depoimento à Guarda Costeira, a embarcação desviou da rota e efetuou uma manobra brusca, mas as causas do naufrágio ainda são desconhecidas.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave