Aidar já tem nome do novo vice de futebol do São Paulo

Ataíde Gil Guerreiro foi convidado e aceitou o cargo, mas aguarda oficialização para se pronunciar

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Carlos Miguel Aidar foi eleito Presidente da Diretoria do São Paulo Futebol Clube para o Triênio 2014/2017
Rubens Chiri/saopaulofc.net
Carlos Miguel Aidar foi eleito Presidente da Diretoria do São Paulo Futebol Clube para o Triênio 2014/2017

Carlos Miguel Aidar confirmou apenas Roberto Natel como vice-presidente geral do São Paulo. O novo presidente, porém, já tem na manga o escolhido para ser o vice de futebol: Ataíde Gil Guerreiro foi convidado e aceitou a função, mas espera a oficialização do comandante para falar como responsável pela área. Ele substituirá João Paulo de Jesus Lopes.

A ideia de Aidar é dar ao cargo um perfil mais executivo e menos ligado às contratações. Considerado um homem duro, terá a missão de conciliar e supervisionar todo o departamento, suas funções burocráticas e levar ao presidente apenas as questões mais importantes.

A parceria entre os dois é antiga; Ataíde já foi diretor executivo do Clube dos 13 - criado por Aidar - na década de 1980. Ele também fez parte da Federação Paulista de Futebol até 2008, quando deixou a entidade como protesto pelas acusações de que o São Paulo deu ingressos do show da cantora Madonna ao árbitro Wagner Tardelli antes da partida contra o Goiás na última rodada do Campeonato Brasileiro, que garantiu o hexacampeonato.

"Ele não passou nada. Disse apenas 'quero contar com você, só não sei onde'. Então amanhã (quinta) ele vai definir quem é o que. Por enquanto não sou absolutamente nada, apenas um correligionário", despistou.

Aidar quer descentralizar o departamento de futebol e estuda a criação de diretorias adjuntas para a pasta. Gustavo Vieira de Oliveira, gerente executivo de futebol, permanece no cargo pelo menos até o fim do ano. O presidente recebeu uma série de elogios sobre o sobrinho de Raí e deve ter uma conversa com ele nos próximos dias para sacramentar a decisão.

Leia tudo sobre: sao paulopresidenteaidarfutebolpolitica