Problemas políticos na Bahia colocam a perigo o jogo de estreia

Pela greve da Polícia Militar baiana, iniciada na última terça-feira, a partida entre Bahia e Raposa, marcada para este domingo, às 16h, na Arena Fonte Nova, pode não acontecer

iG Minas Gerais | GUILHERME GUIMARÃES |

Egídio pediu para sair no segundo tempo, fadigado pelo calor da Bahia
Cruzeiro/Divulgação
Egídio pediu para sair no segundo tempo, fadigado pelo calor da Bahia

Pela greve da Polícia Militar baiana, iniciada na última terça-feira, a partida entre Bahia e Raposa, marcada para este domingo, às 16h, na Arena Fonte Nova, pode não acontecer.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) já adiou dois jogos que seriam realizados em Salvador nessa quarta e, também, nesta quinta-feira. Ambos os compromissos válidos pela Copa do Brasil, envolvendo os rivais Bahia e Vitória. O que pode ser um indicativo de que o confronto entre Tricolor de Aço e Cruzeiro possa ser remarcado.

Apesar do clima de apreensão, o Cruzeiro afirma que a CBF garante o jogo de estreia celeste no Brasileirão para este domingo.

"O presidente Gilvan de Pinho Tavares esteve no Rio de Janeiro, ontem, para a eleição na CBF. E lá ouviu garantias de que a data do jogo com o Bahia será mantida", disse o diretor de comunicação estrelado Guilherme Mendes.

Duas partidas marcadas para Salvador, ambas válidas pela Copa do Brasil, foram adiadas por causa da greve dos militares. Um desses compromissos envolve outro mineiro, o Villa Nova.

Adversário do Bahia na partida de volta do mata-mata que garante vaga na Libertadores, o Leão do Bonfim, que jogaria nesta quinta-feira, véspera de feriado da Semana Santa, só entrará em campo no dia 23, às 21h, na Arena Fonte Nova.

O jogo entre Vitória e J. Malucelli, antes previsto para essa quarta, também foi remarcado. A partida ocorrerá somente no dia 24, às 19h30, no estádio Governador Roberto Santos.

Uma situação que envolve autoridades militares e o Campeonato, o futebol, o Bahia 

Leia tudo sobre: cruzeiroraposabahiacampeonato brasileirogrevepoliciafutebol