Desemprego em março fica em 5% e tem taxa mais baixa da história

Rendimento médio real dos trabalhadores registrou queda de 0 3% em março ante fevereiro e aumento de 3,0% na comparação com março de 2013, segundo o IBGE

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Divulgação
undefined

A taxa de desemprego apurada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nas seis principais regiões metropolitanas do País ficou em 5,0% em março, mostra a Pesquisa Mensal de Emprego (PME),divulgada nesta quinta-feira, 17.

Foi a mais baixa para o mês desde o início da série histórica da pesquisa, em março de 2002. Em fevereiro, a taxa ficou em 5,1%. O resultado veio abaixo do intervalo das estimativas dos analistas ouvidos pelo AE Projeções (de 5,1% a 5,6%), com mediana de 5,4%.

O rendimento médio real dos trabalhadores registrou queda de 0 3% em março ante fevereiro e aumento de 3,0% na comparação com março de 2013.

A massa de renda real habitual dos ocupados no País somou R$ 47,2 bilhões em março, um recuo de 0,7% em relação a fevereiro. Na comparação com março de 2013, a massa cresceu 4 0%.

Já a massa de renda real efetiva dos ocupados totalizou R$ 47,6 bilhões em fevereiro, uma queda de 0,9% em relação a janeiro.

Na comparação com fevereiro de 2013, houve aumento de 5 4% na massa de renda efetiva. O rendimento médio real dos trabalhadores em março foi de R$ 2.026,60, contra R$ 2.033,26 em fevereiro.  

Leia tudo sobre: BrasileconomiadesempregoIBGE