Alonso isenta Domenicali de culpa e pressiona Ferrari

Stefano Domenicali deixou o cargo de chefe da equipe Ferrari e será substituído por Matteo Mattiacci já no GP de Xangai

iG Minas Gerais | AGÊNCIA ESTADO |

Dirigente está intrigado com o fato da Ferrari não ganhar uma corrida em Mônaco desde 2001
Reprodução/Ferrari
Dirigente está intrigado com o fato da Ferrari não ganhar uma corrida em Mônaco desde 2001

O espanhol Fernando Alonso não escondeu nesta quinta-feira a sua insatisfação com o momento turbulento da Ferrari, que não conseguiu ser competitiva nas três primeiras provas da temporada 2014 da Fórmula 1. Ao comentar a saída de Stefano Domenicali do cargo de chefe da equipe, ele defendeu o trabalho do dirigente, o isentou de qualquer culpa e fez elogios, dando a entender que não aprovou a mudança. "Ele provavelmente não estava mais com vontade de continuar e com a sensação de ter o peso sobre seus ombros. Ele tomou uma decisão muito responsável. Não é fácil, quando você tem uma posição muito privilegiada em uma equipe de Fórmula 1, voltar atrás e dizer 'talvez seja melhor mudar'. Mas ele fez isso, apenas por interesse de melhorar a Ferrari, então isso é algo que não podemos esquecer e agora nós temos que respeitar essa decisão", disse Alonso, alertando que a Ferrari não vai melhorar o seu desempenho apenas com a troca de comando, em uma declaração que pode ser avaliado como um ataque aos projetistas da equipe.  "A partir desse ponto, com certeza não é que nesta corrida vamos melhorar um segundo, porque eu não acho que Stefano estava fazendo a asa dianteira ou a asa traseira com as suas mãos, por isso, provavelmente, temos de esperar um pouco de tempo e ver o que podemos melhorar e tentar ajudar toda a equipe com as novas pessoas que vêm para nos tornar um pouco mais fortes e tentar voltar a ter o sucesso do passado", completou. Domenicali será substituído na função de chefe da equipe Ferrari por Matteo Mattiacci. E Alonso disse mal conhecer o dirigente. "Eu não sei se ele está vindo para cá (Xangai, onde será disputado o GP da China), eu acho que sim, seria uma boa hora para recebê-lo. Eu realmente não tenho muito a dizer. Eu piloto o carro", afirmou.  Alonso espera que Mattiacci tenha sucesso na Ferrari, mas declarou que não pode avaliar se ele foi uma escolha acertada. "Bem, eu acho que nós precisamos dar a ele tempo e tentar ver como ele se sai. É muito cedo para dizer se vai ser uma coisa muito boa ou muito ruim. Eu acho que nós precisamos ter certeza que temos todas as instalações prontas, todo o material técnico pronto, toda a equipe por trás dele, para tentar ajudá-lo a se estabelecer o mais rápido possível. E tentar colocá-lo em condições de se sentir confortável desde o primeiro dia", comentou.  Alonso é o quarto colocado no Mundial de Pilotos, com 26 pontos, enquanto a Ferrari está apenas na quinta colocação no Mundial de Construtores, com 33. Neste fim de semana, eles tentarão melhorar esse desempenho no GP da China, que será realizado no próximo domingo no circuito de Xangai.

Leia tudo sobre: alonsof1ferrariStefano Domenicali