No Santos, gols de Gabriel aumentam a pressão sobre Damião

Contratado por uma fortuna, Leandro Damião convive com boa fase do concorrente, que marcou dois gols na vitória por 3 a 0 contra o Mixto-MT

iG Minas Gerais | agência estado |

Gabigol anotou duas vezes na vitória santista diante dos mato-grossenses
Ricardo Saibun/SantosFC)
Gabigol anotou duas vezes na vitória santista diante dos mato-grossenses

Os dois gols de Gabriel na vitória por 3 a 0 contra o Mixto-MT, pela primeira fase da Copa do Brasil, aumentam a pressão sobre Leandro Damião. O ex-atacante do Internacional já era apontado como um dos principais responsáveis pelo fracasso santista na decisão do Campeonato Paulista contra o Ituano, além ainda dever uma atuação à altura dos R$ 42 milhões que o clube vai pagar pela sua contratação. Ao ficar fora contra o fraco Mixto, na noite desta quarta-feira, na Vila Belmiro, Damião abriu espaço para que Gabriel voltasse a jogar como falso centroavante, posição em que se adaptou e rende mais, e agravou a sua situação. "Graças a Deus os gols saíram. O importante é a vitória do grupo. Quem ganhou não foi Gabriel e sim o time", disse o atacante de 17 anos, que se esquivou a ser questionado se merece ser o centroavante da equipe. "Damião vem brigando muito, eu também. E já jogamos juntos e estamos trabalhando firme, cada um buscando o seu espaço, e vai depender do professor Oswaldo onde vou jogar". O técnico Oswaldo de Oliveira também desconversou ao ser perguntado sobre a possibilidade de Damião perder a posição para Gabriel. "Não sou capaz de adivinhar nada", disse, atribuindo à forte pressão que Leandro Damião vem enfrentando o seu desempenho abaixo do esperado. "O montante pago por Damião tem sido muito lembrado. Diariamente é trazido à tona. Ele não fez o gol que a gente esperava na final do Paulista. Mas é normal e vamos saber lidar com isso. Quem vai jogar e se será um ou os dois juntos, não posso antecipar nada. Vamos esperar pela sequência natural das coisas". Oswaldo afirma ter sido ele que mudou a maneira de Gabriel jogar. "Quando eu cheguei, ele era jogador de lado de campo. Damião estava contratado, mas não tinha condições legais. Tivemos que modificar o posicionamento do Gabriel. Ele fez gols, agradou e depois oscilou, o que é natural para um menino de 17 anos. Vamos seguir observando o jogador e não sei o que vai acontecer. Se continuar jogando bem, vai vestir a 9, 8, 7. Vamos encontrar algum lugar para ele jogar". É provável que Gabriel seja mantido como atacante mais avançado por mais alguns jogos, enquanto Leandro Damião estiver sendo preservado. Na entrevista coletiva que concedeu terça-feira no CT Rei Pelé, Zinho, gerente de futebol, disse que Damião precisa se recuperar das dores e depois passar por um período de preparação para se condicionar melhor fisicamente, o que pode significar que o caminho está aberto para Gabriel.

Leia tudo sobre: santosmixtocopa do brasilfutebol nacionalleandro damiaogabrielgabigol