Mulheres são as preferidas do PSDB para ser vice de Aécio

Uma candidata para compor chapa com o senador tucano cria a possibilidade de atrair o voto feminino

iG Minas Gerais | Isabella Lacerda |

A senadora Ana Amélia de Lemos é cotada para a disputa no Sul
Pedro França
A senadora Ana Amélia de Lemos é cotada para a disputa no Sul

Entre os nomes apontados como os mais prováveis para ocupar a vaga de vice na chapa do senador mineiro Aécio Neves (PSDB) à Presidência da República, o de duas mulheres são considerados os preferidos. No cenário atual, a deputada federal Mara Gabrilli (PSDB-SP) e a senadora Ana Amélia de Lemos (PP-RS) são apontadas como as que mais podem agregar à campanha de Aécio e, segundo os tucanos, já aparecem em pesquisas internas do partido.  

Dois motivos tornam as parlamentares nomes fortes para a disputa. No caso da tucana Mara Gabrilli, ela ganha pontos por ser de São Paulo, Estado apontado pelo PSDB como primordial para uma vitória nas urnas. Além disso, ela poderia atrair os votos da classe feminina e também dos deficientes, já que na Câmara dos Deputados tem uma atuação voltada para essa área.

Ana Amélia, por sua vez, poderia ser usada como uma “arma política” para atrair aliados. Por ser do PP, oferecer a vaga de vice ao partido tiraria a sigla da base da presidente Dilma Rousseff (PT) – hipótese reforçada depois que Alberto Pinto Coelho (PP) assumiu o governo de Minas. Ela ainda poderia garantir a Aécio parte do eleitorado do Sul do país, já que sua trajetória política foi construída na região.

De acordo com uma liderança do PSDB, pesquisas internas do partido já têm apontado para o perfil ideal da vice e, até o momento, o mais interessante seria escolher um paulista. No entanto, o anúncio oficial do nome só vai acontecer dez dias antes do fim do prazo para inscrição das chapas completas para as eleições, em junho.

Segundo o deputado federal Paulo Abi-Ackel, Aécio está analisando todas as hipóteses. “Ele está vendo as alternativas, mas sempre com o olho em um nome que pode agregar no processo de governabilidade. Terá que ser alguém importante para completar seu palanque”, diz.

O também deputado federal Rodrigo de Castro diz que as mulheres até agora colocadas são importantes. “A Ana Amélia é um grande nome, mas ela é cotada para o governo do Rio Grande do Sul”, justifica. “Mas podem surgir nomes de outras mulheres”, completa.

Com menos força, a ex-ministra do Supremo Tribunal Federal e recém-filiada ao PSDB do Rio de Janeiro, Ellen Gracie, também surge como uma possibilidade.

PSDB no ar O partido leva ao ar, às 19hs, o novo programa partidário. O que estará na tela? Aécio. Apresentado como “novo presidente do PSDB”, o pré-candidato à Presidência é destaque. De camisa branca, sem terno e gravata, tenta estabelecer proximidade com o grande público. Formato. Boa parte será em formato de entrevista. Tema. O PSDB fez pesquisas para definir o que iria ao ar. Dentre os temas estão a inflação e o que o partido chama de “situação de paralisia do país”. Mostrar. Um dos objetivos do PSDB é superar o desconhecimento que o eleitorado tem de Aécio, já demonstrado em pesquisas eleitorais.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave