Oposição desiste e Aidar será eleito no São Paulo

Kalil Rocha Abdalla seria o adversário na disputa pelo cargo. Ele ainda não explicou os motivos da desistência

iG Minas Gerais | Agência Estado |

Juvenal Juvêncio sabe que vitória no clássico seria ótimo para o time e pioraria a crise no Timão
Andre Penner/AP
Juvenal Juvêncio sabe que vitória no clássico seria ótimo para o time e pioraria a crise no Timão

A poucas horas da eleição no São Paulo, a oposição retirou sua candidatura no fim da tarde desta quarta-feira, o que confirma Carlos Miguel Aidar no cargo de presidente, no lugar de Juvenal Juvêncio. Sua eleição só precisará ser homologada nesta noite, a partir das 19 horas.  O candidato da oposição era Kalil Rocha Abdalla, ex-diretor jurídico da gestão atual e que tinha como maior cabo eleitoral Marco Aurélio Cunha, que já foi aliado de Juvenal Juvêncio e hoje é seu maior adversário dentro da política são-paulina. Rocha Abdalla ainda não se manifestou oficialmente sobre o motivo de sua desistência. Mas especula-se que seja uma estratégia para evitar a votação da cobertura do Estádio do Morumbi. A decisão sobre o polêmico assunto, que vem dividindo a política do clube, faz parte da pauta a ser levada à votação na noite desta quarta, por sugestão do candidato da situação, favorável ao tema. O assunto entrará na pauta porque a votação do novo presidente exigirá a presença da maioria dos conselheiros do clube. E, para entrar em votação, a cobertura do Morumbi precisa de um quórum de 75%, de acordo com o estatuto. Assim, a situação conseguiria superar a resistência dos opositores. Ao desistir da candidatura, a oposição tentará esvaziar a votação, impedindo novamente a decisão sobre o polêmico tema. Antes da eleição, o candidato Kalil Rocha Abdalla já tinha consciência das remotas chances de se tornar presidente do clube porque a grande maioria do colégio eleitoral do clube já havia manifestado apoio à Aidar.