Real vence, fatura a Copa do Rei e afunda o Barcelona

Mesmo sendo superiores em toda a partida, gol do título saiu apenas nos minutos finais da partida no estádio Mestalla

iG Minas Gerais | Agência Estado |

Jogadores comemoram gol marcado pelo galês Bale, que definiu o placar e a conquista para o Real
Reprodução Facebook Real Madrid
Jogadores comemoram gol marcado pelo galês Bale, que definiu o placar e a conquista para o Real

O Real Madrid faturou nesta quarta-feira sua 19.ª Copa do Rei na história e, de quebra, afundou o Barcelona em uma crise inimaginável há meses atrás. No Estádio Mestalla, em Valência, os madrilenhos foram superiores durante os 90 minutos, levaram um susto no segundo tempo, mas garantiram o título com a vitória por 2 a 1. A equipe ainda manteve vivo o sonho da "tríplice coroa", já que está nas semifinais da Liga dos Campeões e é vice-líder do Campeonato Espanhol. Mesmo sem o lesionado Cristiano Ronaldo, os comandados de Carlo Ancelotti aproveitaram-se do nervosismo do Barcelona e comandaram a partida. Abriram o placar cedo, com Di María, seguiram melhores, mas levaram o empate no segundo tempo, em lance de bola parada com Bartrá. Foi então que Bale, destaque do jogo, apareceu e mostrou porque custou 91 milhões de euros aos cofres do Real ao marcar um lindo gol, que definiu o título. Pelo lado do Barcelona, resta juntar os cacos de uma temporada para ser esquecida. Eliminado na Liga dos Campeões e com poucas chances de conquistar o Espanhol, o time catalão tinha na Copa do Rei a chance de minimizar o ano decepcionante. Neymar ainda teve a oportunidade de salvar a equipe da derrota, mas jogou na trave aos 44 do segundo tempo. O JOGO - O começo de jogo foi todo do Real pressionando. Foram duas boas jogadas com Bale, que errou o alvo por pouco em ambas, até o primeiro gol. Aos 10 minutos, o galês tocou para Benzema, que, de primeira, achou Di María no limite da linha de impedimento da defesa do Barcelona. O argentino ameaçou tocar no meio, mas decidiu bater para o gol. Pinto não foi bem para ela e acabou deixando a bola entrar. O gol logo no início tranquilizou o time madrilenho, enquanto o Barcelona tentou ir com tudo para cima, mas estava desorganizado. A equipe ficava com a bola, mas não encontrava formas de chegar à meta adversária. O melhor momento aconteceu já aos 41 minutos, quando Iniesta fez boa jogada pela esquerda, Messi aproveitou e tentou da entrada da área, mas jogou para fora. O time catalão precisava reagir no segundo tempo, mas foi o Real quem tomou conta do jogo. Pressionando a saída do Barça, os madrilenhos sufocavam e aproveitavam os seguintes erros de passe do adversário, principalmente com Busquets para chegar. Aos três minutos, novamente Bale levou perigo em chute cruzado. Aos nove, o galês jogou por cima. O jogo era todo do Real, que perdeu nova chance aos 21. Di María deu ótimo passe para Benzema, que bateu forte. Pinto mandou para escanteio. Na sequência, a bola foi cruzada na área, Bale subiu com o goleiro e marcou, mas o juiz já marcava falta. O castigo para tantas chances perdidas veio na sequência. Em uma das poucas idas ao ataque no segundo tempo, o Barcelona empatou. Após escanteio da esquerda, Pepe bobeou e o zagueiro Bartrá subiu sozinho para cabecear no canto de Casillas e marcar, aos 23. Foi apenas um susto para o Real, que seguiu melhor. Até que, depois de tanto insistir, Bale definiu a partida. Aos 39 minutos ele recebeu um pouco atrás do meio de campo, pelo lado esquerdo. Com um toque colocou na frente de Bartrá, que ainda tentou tirá-lo da jogada no jogo de corpo. O galês até saiu de campo, mas não desistiu e chegou à bola muito antes do zagueiro adversário. Então, teve tranquilidade para entrar na área e tocar entre as pernas do goleiro. Na base do desespero, o Barcelona foi para cima e Neymar teve a bola do jogo em seus pés. Aos 44 minutos, o brasileiro recebeu sozinho dentro da área, dominou e tirou de Casillas. Mas a bola caprichosamente tocou na trave e voltou nas mãos do goleiro, provando que o dia era mesmo do Real.

Leia tudo sobre: Gareth BalefutebolCopa do ReiBarcelonaclássicotítulo