Agente detalha negócio por Anelka e dispara: 'Foi falta de caráter'

Intermediário na negociação entre Anelka e Atlético, Robson Lima afirmou que vinda do atacante francês para o Galo estava certa e o clube tem tudo documentado

iG Minas Gerais | GABRIEL PAZINI* |

Intermediário na negociação entre Anelka e Atlético, o empresário Robson Lima quebrou o silêncio e detalhou a negociação envolvendo o francês e o clube alvinegro. O agente participou das tratativas junto com Claude Anelka, Christian Casini, Alexandre Kalil e Eduardo Maluf, e garante: ao contrário do que diz o jogador, a vinda dele para o Galo estava acertada e "ele não teve caráter".

O empresário afirma que o clube mineiro tem tudo documentado e que Anelka inclusive forneceu seu passaporte duas vezes. Ainda segundo Lima, o Galo teve muita paciência com o francês. "Foi uma covardia muito grande, falta de responsabilidade e caráter do Anelka. Ele afirmar que nós não estavamos autorizados a negociar em nome dele, mas temos tudo documentado. Já estava tudo [Anelka reforçar o Atlético] acertado e documentado, o termo de compromisso estava ok e assinado. Ele ia chegar aqui dia 6, até passou os passaportes e números duas vezes. Tem isso tudo documentado, mas aí, veio só o irmão dele. Nós fizemos tudo certinho, não sei o que aconteceu com o Anelka", diz o agente ao Super FC.

O atacante francês não desembarcou no Brasil no dia previsto, mas também não afirmou que não iria se juntar ao Atlético, segundo Lima. O agente afirma que o Galo teve "muita paciência" com Anelka.

"Ele teve todo o tempo do mundo para discordar e não vir, mas estava tudo certo. O Atlético sempre teve paciência e apostou que ele viria, mas ele, mostrando uma falta de caráter muito grande, não veio", dispara.

Kuwait

O empresário também comentou sobre a ida do atacante para o Oriente Médio. De acordo com o agente, o compromisso não estava na agenda do francês e um dos representantes de Anelka, Doug Pingsi, entrou em contato nesta segunda-feira pedindo que o Atlético aceitasse que o avante desembarcasse no Brasil apenas no dia 19.

"O compromisso [viagem para o Kuwait] não estava firmado antes, apareceu agora. Um sheik que chamou ele, e aí ele foi pra lá. O Doug [Pingsi], é um dos representantes do Anelka, ele é do Congo. Foi ele quem nos pediu para esperarmos a vinda do Anelka para o dia 19. Ele entrou em contato comigo antes de ontem".

Chance perdida

Lima vê a atitude alvinegra como correta e analisa que o atacante perdeu uma grande chance. "Queremos entender o por que dele perder uma chance tão grande, o presidente [Alexandre Kalil] que é o mais sério de todos [os mandatários] que existem e um clube como o Atlético. O que o Kalil fala é fato, é real. O Atlético fez certo, o clube é maior que o Anelka", finaliza.

Leia tudo sobre: anelkaatacanteatleticogalofutebolesportepolemicarobson limaempresarioexclusivofrancesnegociacoes