Senado cria CPI da Petrobras, mas Supremo irá decidir foco

Senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP) acredita que novo adiamento da decisão no Plenário é mais uma manobra para atrasar a investigação

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

Criada na noite desta terça-feira (15) no Senado, em Brasília, uma CIP mista - com a presença de deputados e senadores -  para investigar a Petrobras. Porém, o Senado irá esperar a decisão do Supremo Tribunal Federal (STF),  sobre mandados de segurança impetrados pela oposição e pelo governo, para decidir o foco das investigações. 

A relatoria é da ministra Rosa Weber, que só deve se manifestar na próxima semana. "A ministra afirmou aos os líderes da oposição que entre terça e quarta-feira da próxima semana ela decidirá [a respeito de uma medida liminar], então faz mais sentido esperar", declarou  Braga.

Na segunda-feira (14), Renan enviou documento com informações ao Supremo, explicando que decidiu pela CPI ampla em nome do princípio da eficiência na administração pública.

Para o senador Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), o novo adiamento da decisão no Plenário é mais uma manobra para atrasar a CPI.

"Tudo isso é ação de postergação. Enquanto não se vota, posterga-se e, com isso, quem ganha tempo é o governo, porque a CPI acaba não sendo instalada. É uma estratégia que só interessa ao governo", disse o senador.

Com Agência Senado 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave