Vereadores querem melhorias na infraestrutura da rodoviária de BH

Em visita técnica realizada na manhã desta terça, parlamentares identificaram problemas como infiltrações, goteiras e falta de acessibilidade; relatório pedindo melhorias será enviado à Prefeitura de Belo Horizonte

iG Minas Gerais | Da redação |

Infiltrações, falta de sanitários adaptados e deficiências na acessibilidade e no conforto dos usuários foram alguns dos problemas encontrados por vereadores da Comissão de Direitos Humanos e Defesa do Consumidor que participaram de uma visita técnica ao terminal rodoviário de Belo Horizonte na manhã desta terça-feira (15). Diante da situação, os parlamentares se comprometeram a encaminhar um relatório à Prefeitura de Belo Horizonte para solicitar medidas urgentes em relação aos problemas constatados. Ainda não há uma data para que o documento seja enviado à administração municipal.

O vereador Doutor Sandro (PROS), que solicitou a ida ao terminal, explicou que a visita à rodoviária foi motivada por reclamações de usuários e permitiu aos parlamentares verificar pessoalmente a estrutura física do terminal, as condições de acessibilidade e conforto dos passageiros. Além do gerente do terminal, Ricardo Coutinho, eles conversaram com diversos passageiros presentes, que apontaram os problemas mais graves, como infiltrações, goteiras e alagamentos, dificuldades de trânsito entre os pavimentos e a pouca quantidade de cadeiras disponíveis.

Junto com o presidente, os vereadores Orlei (PTdoB) e Adriano Ventura (PT) percorreram os três andares do edifício verificando o número e o estado de conservação das cadeiras disponíveis para os usuários, instalações sanitárias, guarda-volumes, pisos, escadas e plataformas. Eles conferiram ainda os quatro elevadores que dão acesso aos dois pavimentos superiores e à plataforma de embarque. Constatando o perfeito funcionamento e as boas condições dos aparelhos, os parlamentares criticaram as deficiências na sinalização, que dificultam a localização dos elevadores por idosos e pessoas com deficiência.

A Comissão observou também que há dificuldades de trânsito entre a saída dos elevadores e as baias do setor de embarque, que além do piso irregular e da presença de degraus nas plataformas, obrigam os usuários a cruzar as pistas de circulação dos ônibus. Além disso, os passageiros que chegam de viagem não têm acesso aos elevadores e precisam dar a volta por fora do terminal para alcançar os equipamentos, disponíveis apenas na área de embarque. 

Obras e segurança

Questionado sobre o não funcionamento das rampas rolantes que ligam o térreo ao pavimento superior, o gerente do terminal contou que elas estão paradas há 30 anos, devido à ausência de peças de reposição, e que a troca por novas escadas rolantes já está prevista pela prefeitura. Coutinho informou ainda que a Superintendência de Desenvolvimento da Capital (Sudecap) já realizou vistorias na cobertura e no sistema hidráulico do terminal e a licitação para execução dos reparos deverá ser aberta em breve, após a conclusão do projeto.

Quanto à troca das cadeiras, pisos, pintura, adaptação de banheiros para pessoas com deficiência e melhorias na sinalização e na circulação, o funcionário disse que as ações estão previstas, mas ainda não foram incluídas no Plano de Obras do Município. Segundo ele, a segurança é feita pela Polícia Militar (PM) e pela Guarda Municipal, que possuem postos no local, além de vigilantes terceirizados, e os valores cobrados pelo estacionamento e guarda volumes estão abaixo dos praticados no mercado.

Medidas urgentes

Ao final da visita, Doutor Sandro elogiou a limpeza e a conservação das instalações e afirmou que a Comissão irá encaminhar um relatório à prefeitura apontando as falhas observadas e solicitando medidas urgentes em relação à acessibilidade, além da dedetização do edifício. Considerando a demora prevista para a entrega do novo terminal, os vereadores vão propor a instalação imediata de placas de sinalização bilíngues, com maior visibilidade e destaque, além de pinturas e marcas no piso para a orientação dos usuários, inclusive deficientes visuais.

Adriano Ventura sugeriu ainda a instalação de passagens elevadas com eliminação de obstáculos entre as plataformas, devidamente sinalizadas, permitindo a mobilidade segura das pessoas idosas e com deficiência. Os vereadores vão solicitar também, em caráter de urgência, a adaptação de sanitários e a dedetização do edifício, que será utilizado como estação metropolitana do BRT-Move após a mudança do terminal e a construção do centro administrativo.

Leia tudo sobre: infraestruturarodoviária