Motorista que matou empresário na Raja Gabaglia vai a júri popular

O Juiz do II Tribunal do Júri de Belo Horizonte já havia sentenciado Bittencourt ao júri popular, mas a defesa dele recorreu ao Superior Tribunal de Justiça e em seguida ao Supremo Tribunal Federal (STF).

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

undefined

O estudante e administrador Gustavo Henrique Oliveira Bittencourt acusado de causar a morte do empresário Fernando Paganelli de Castro, 48, após um acidente na avenida Raja Gabaglia, no dia 1º de fevereiro de 2008, irá a júri popular. A informação foi divulgada nesta terça-feira (15) pelo Tribula de Justiça de Minas Gerais (TJMG). Na ocasião do acidente Bittencourt dirigia na contramão e em seu carro foram encontradas latas de cerveja.

O acusado pode pegar até 20 anos de prisão, já que foi pronunciado pelo crime de homicídio com dolo eventual (quando há intenção de matar). O julgamento do réu ainda não tem data definida, segundo a assessoria de imprensa do TJMG.

Ainda de acordo com a assessoria, o Juiz do II Tribunal do Júri de Belo Horizonte já havia sentenciado Bittencourt ao júri popular, mas a defesa dele recorreu ao Superior Tribunal de Justiça e em seguida ao Supremo Tribunal Federal (STF). Os ministros decidiram manter a decisão do TJMG, que recebeu nesta terça o processo do caso.

De acordo com a denúncia do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG), o acusado dirigia em alta velocidade e na contramão quando bateu no carro do empresário e o matou. Após o acidente, Bittencourt fugiu do local. Ele foi preso no mesmo dia do acidente e ficou 80 dias detido. Ele já respondia a outro processo por embriaguez ao volante. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave