Governo fixa meta de superávit primário em 2,5% do PIB

Segundo o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), a meta de superávit primário do setor público consolidado será de R$ 143,3 bilhões; para este ano é de R$ 99 bilhões

iG Minas Gerais | DA REDAÇÃO |

O governo federal anunciou nesta terça-feira (15), que fará um esforço fiscal maior em 2015 do que em 2014 e fixou um superávit mínimo de 2% para o próximo ano.

Segundo o Projeto de Lei de Diretrizes Orçamentárias (PLDO), a meta de superávit primário do setor público consolidado será de R$ 143,3 bilhões, o equivalente a 2,5% do Produto Interno Bruto (PIB).

Para este ano, a meta de superávit primário das contas do setor público é menor: de R$ 99 bilhões, o equivalente a 1,9 % do PIB) - proporcionalmente, o mesmo resultado obtido em 2013.

A meta de superávit primário mínimo para 2015, que leva em conta o abatimento, é de R$ 114,7 bilhões (2% do PIB), segundo o documento divulgado hoje. Os abatimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) podem ser de até R$ 28,7 bilhões o que representa 0,5% do PIB.

A meta do governo central para o próximo ano é de R$ 114,7 bilhões, ou 2% do PIB. Para Estados e Municípios, a meta é de R$ 28,7 bilhões, ou 0,5% do PIB.

Para este ano, os valores são menores: a meta fiscal dos governos regionais é de R$ 18,2 bilhões, o equivalente a 0,35% do PIB. Já a meta fiscal do governo central é de R$ 80,8 bilhões, ou 1,55% do PIB.

PIB

O governo estima que o crescimento da economia em 2015 será de 3% com uma inflação, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), de 5%. As novas estimativas mostram uma deterioração das expectativas do governo em relação à economia.

Há um ano, quando o governo divulgou a LDO de 2014, a área econômica estimava que o PIB teria crescimento de 5% em 2015, com inflação de 4,5%. Para 2016 e 2017, segundo divulgado nesta terça-feira, o governo espera uma expansão do PIB de 4%.

A LDO de 2015 estima que a dívida líquida do setor público no ano que vem será de 33% do PIB, ante 33,6% em 2014. A dívida líquida deve cair para 32 1% do PIB em 2016 e 2017, segundo as projeções do governo. A dívida bruta projetada é de 55,2% do PIB em 2015, ante 56,8% do PIB em 2014.

Leia tudo sobre: economiaPIBsuperavit