Saída dos EUA do Afeganistão derruba gasto militar mundial

Despesas do setor caíram 1,9%; sem investimentos norte-americanos, haveria aumento de 1,8%

iG Minas Gerais | Flávia Denise |

Com US$ 1,7 trilhão (cerca de R$ 3,7 trilhões) investidos, 2013 foi o ano em que o mundo registrou, pela segunda vez consecutiva, uma queda no gasto de armamentos. Em comparação com 2012, foi gasto 1,9% a menos no setor, segundo o relatório anual de gastos militares do Instituto Internacional de Estudos da Paz de Estocolmo (Sipri, na sigla em inglês). Em 2012, o total das despesas na área caiu 0,4%.  

O principal motivo para a queda nos gastos mundiais é a redução das operações dos Estados Unidos no Iraque e no Afeganistão. Em 2011, o país anunciou sua saída do Iraque, onde suas tropas ficaram por mais de oito anos. Em fevereiro deste ano, o presidente norte-americano Barack Obama anunciou que pretende concluir a retirada total das tropas no Afeganistão até o fim do ano. A intervenção no país começou logo após os atentados do 11 de Setembro de 2001.

Se os gastos norte-americanos não tivessem sido inclusos no estudo, o gasto militar mundial teria apresentado um aumento de 1,8%, segundo o Sipri. Os gastos dos EUA apresentaram queda de 7,8% no período (US$ 680 bilhões).

Aumento. Segundo o instituto, o gasto militar na America do Norte, na Europa central e ocidental e na Oceania caiu nos últimos anos. Porém, as outras regiões do mundo registraram aumento. Somente o gasto chinês aumentou 7,4% no último ano, o russo cresceu 4,8% (e, pela primeira vez desde 2003, o país gastou uma parcela maior de seu PIB com armas dos que os EUA).

Além disso, o instituto chama a atenção para os 23 países que dobraram seus gastos militares entre 2004 e 2013. Entre eles, estão os sul-americanos, Argentina, Paraguai e Equador.  

Países bélicos Potências. Aproximadamente quatro quintos de todos os gastos militares em 2013 foram realizados por 15 países, entre eles o Brasil, concluiu o levantamento feito pelo Sipri.

Após aquecimento, setor no Brasil começa a enfraquecer O Brasil caiu no ranking dos países com maiores gastos militares no mundo em 2013, de acordo com o último relatório anual do Instituto Internacional de Estudos da Paz de Estocolmo (Sipri, na sigla em inglês). Na 12ª posição na lista atual (em 2012, o Brasil ocupava a décima), o país gastou US$ 31,5 bilhões (cerca de R$ 70 bilhões) no último ano, uma queda de 3,9% em relação ao ano anterior. Apesar de haver uma queda no gasto do país com armamentos em 2013, o Brasil tem aumentado seu investimento na área nos últimos anos. Segundo informações do Ministério da Defesa, o gasto total com armamentos subiu 243% nos últimos cinco anos em comparação com os cinco anteriores. Somente as importações de armamentos feitas pelo país subiram 65% no mesmo período. Nessa mesma época, as importações bélicas em todo o mundo aumentaram somente 14%, de acordo com o Sipri. (FD)

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave