Siglas da base receberam mais

iG Minas Gerais |

São Paulo. Partidos que integram a base aliada do governo da presidente Dilma Rousseff receberam ao menos R$ 35,3 milhões em doações na campanha eleitoral de 2010 de empresas citadas na lista apreendida pela Polícia Federal na casa do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa.  

Esse valor representa 79% do total doado pela Mendes Júnior, Engevix, Iesa e UTC a diretórios e candidatos de diferentes legendas, segundo levantamento feito pelo jornal “Folha de S.Paulo” no sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

Paulo Roberto foi preso no último dia 20 na operação Lava Jato sob suspeita de integrar um esquema de lavagem de dinheiro que movimentou R$ 10 bilhões e que intermediou doações eleitorais, segundo investigações da PF.

A tabela apreendida na casa do ex-diretor da Petrobras, suspeito de repassar dinheiro de empresas contratadas pela estatal a políticos, lista os nomes das companhias Mendes Júnior, UTC/Constran, Engevix, Iesa, Hope e Toyo Setal. Todas têm contratos ativos com a Petrobras ou, ao menos, já tiveram.

O documento manuscrito também cita executivos e, numa terceira coluna, descreve a “solução” relacionada a cada companhia, com anotações descrevendo quem “está disposto a colaborar”, “já vem ajudando" ou “já teve conversas com candidato”.

Segundo levantamento da reportagem, a UTC Engenharia doou ao menos R$ 20,9 milhões para a campanha de 2010, sendo 83% para siglas da base. A Mendes Júnior repassou R$ 13,8 milhões em doações e destinou 65% desse valor para os aliados do Planalto. Já a Engevix doou R$ 7 milhões, sendo 87% para a base.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave