Clubes desperdiçam potencial

iG Minas Gerais | DANIEL OTTONI |

Tais exemplos deixam claro o potencial vitorioso que existe quando times de futebol resolvem investir em modalidades olímpicas. Apesar da capacidade que os clubes têm para conseguir trajetórias vitoriosas em outros esportes, poucos são os exemplos que conseguem persistir por muitos anos. Para isso, basta investimento e profissionalismo dos envolvidos.  

“O que precisaria ser corrigido são algumas falhas administrativas que são comuns neste esporte. Se já existe uma falta de atenção com o futebol, que recebe grandes investimentos, o que poderia acontecer com outros esportes de menor expressão?”, ressalta Arlene, que viu o Flamengo extinguir o time de vôlei logo na temporada seguinte ao título nacional conquistado.

Na época, o Flamengo, que foi campeão da Superliga feminina da temporada 2000/2001, teve que se superar para vencer o rival Vasco na decisão, jogada no Maracanãzinho.

“Foi uma temporada especial, já que sofremos muito para o Vasco na fase de classificação e estávamos com salários atrasados. Sofremos muitas críticas e nos superamos na final. Lembro que, enquanto o time do Vasco estava de folga, nos fizemos treinos em todos os dias da semana. O grupo foi muito importante na decisão, algumas jogadoras saíram do banco para fazer a diferença”, recorda a jogadora do Minas.

Depois do duplo título do último domingo, a esperança é que novos episódios parecidos se repitam.

“O Cruzeiro deu provas de como essa parceria pode dar certo. Na final do domingo, o time sobrou em quadra. É uma pena que os times de futebol não façam isso com mais frequência. Outros esportes, como natação e atletismo, carecem de apoio e isso poderia vir do futebol”, salienta. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave