Gotículas de tosses e espirros podem ir mais longe do que se pensava

Estudo avalia risco dos sistemas de ventilação que carregam partículas

iG Minas Gerais |

Gotas menores podem ir de cinco a 200 vezes mais longe, segundo pesquisa
Trent Chambers
Gotas menores podem ir de cinco a 200 vezes mais longe, segundo pesquisa

Boston, EUA. As gotículas potencialmente infecciosas provenientes de tosses ou espirros vão mais longe do que se pensava. Isso porque, quando expelidas, se movimentam em meio a uma nuvem de gás. Cientistas do Massachusetts Institute of Technology (MIT), nos Estados Unidos, descobriram que esse tipo de nuvem tem um papel importante na condução do material, fazendo com que ele fique no ar por mais tempo e atinja mais pessoas.

Para chegarem a essas conclusões, pesquisadores analisaram imagens feitas por uma câmera de alta velocidade que registrou voluntários tossindo ou espirrando.

A lufada de ar proveniente da tosse ou do espirro faz com que as gotículas adquiram uma dinâmica de movimento peculiar, em que as menores conseguem ir mais longe do que as maiores. As gotas menores podem ir de cinco a 200 vezes mais longe do que iriam se simplesmente se movessem como partículas isoladas, fora de uma nuvem de gás.

Assim, é possível concluir que sistemas de ar condicionado e ventilação podem contribuir ainda mais para carregar as gotículas de muco por distâncias maiores.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave