Quatro testemunhas do caso do "tarado do Dona Clara" são ouvidas

Dentre as testemunhas estão policiais e parentes do suspeito; o teor dos depoimentos não foi divulgado pelo TJMG já que o processo corre em segredo de Justiça

iG Minas Gerais | Natália Oliveira |

CIDADES BH MG: APRESENTACAO DO TARADO DO DONA CLARA. NA FOTO: MARCEL

FOTOS DENILTON DIAS / O TEMPO / 30.10.13
DENILTON DIAS / O TEMPO
CIDADES BH MG: APRESENTACAO DO TARADO DO DONA CLARA. NA FOTO: MARCEL FOTOS DENILTON DIAS / O TEMPO / 30.10.13

Quatro pessoas foram ouvidas na tarde desta terça-feira (14) sobre o caso do assistente  administrativo Marcel Barbosa dos Santos, 30, que ficou conhecido como “Tarado do Dona Clara”. Ele é acusado de estuprar 12 mulheres.

De acordo com a assessoria de imprensa do Tribunal de justiça de Minas Gerais (TJMG) a audiência de instrução começou por volta das 13h30 e se encerrou às 16h a 8ª Vara Criminal do Fórum Lafayete.

Ainda segundo o TJMG, era para o juiz Luís Augusto César Pereira Monteiro Barreto Fonseca ter ouvido 20 testemunhas, mas as outras foram dispensadas. Dentre as quatro testemunhas ouvidas estão policiais e parentes do suspeito, que só deve ser ouvido após o resultado do exame de sanidade mental, que não tem prazo para ficar pronto.

Ainda de acordo com o TJMG o processo corre em segredo de Jusiça e portanto o teor dos depoimentos não foi divulgado.

O suspeito foi preso em 29 de outubro do ano passado. Ele admitiu os abusos. O caso veio a tona depois que uma estudante denunciou que havia um estuprador no bairro Dona Clara, na Pampulha.

De acordo com os relatos das vítimas o homem agia principalmente nas imediações de uma escola. A maioria das vítimas eram adolescentes. O Homem as abordava com uma moto e passava a mãe em suas partes intímas. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave