Em súmula do clássico, árbitro não cita ofensas de Kalil: "Normal"

Juiz da partida desconsiderou xingamentos sofridos por causa do lance polêmico no final do jogo no Mineirão

iG Minas Gerais | Da Redação |

Esportes -  Belo Horizonte, Mg. Final do Campeonato Mineiro. Atletico-MG X Cruzeiro. Jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao. Fotos: Leo Fontes  / O Tempo - 13.4.14
LEO FONTES / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte, Mg. Final do Campeonato Mineiro. Atletico-MG X Cruzeiro. Jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.4.14

""Ladrão! Filho da p...! Gângster. Vagabundo!!!”. Foram apenas alguns dos xingamentos proferidos pelo presidente Alexandre Kalil após a final do Campeonato Mineiro. No entanto, o árbitro do jogo, Leandro Pedro Vuaden, relatou na súmula do confronto que a conduta dos dirigentes dos dois clubes foi "normal". O documento foi publicado nesta segunda-feira. 

A revolta do mandatário alvinegro foi causada por um lance polêmico, que envolveu o atacante Jô e o zagueiro Dedé. A jogada ocorreu no final do clássico. Kalil reclamou da marcação do assistente Fábio Pereira, que assinalou impedimento no lance em que Dedé teria cometido pênalti em Jô. O centroavante alvinegro disse que o árbitro confessou que marcaria o pênalti, mas preferiu seguir o que o bandeirinha havia indicado. Com isso, o empate por 0 a 0 permaneceu, e o Cruzeiro terminou com o título estadual.