Avó é suspeita de mandar sequestrar neta de 11 meses no interior de MG

Pai contou à polícia que disputava a guarda da criança na Justiça; menina está desaparecida há cinco dias

iG Minas Gerais | CAROLINA CAETANO |

Uma menina de apenas 11 meses está desaparecida há quatro dias após a casa em que morava no Distrito de Carioca, em Pará de Minas, na região Central do Estado, ser invadida e a criança ser sequestrada. Para a Polícia Militar, o pai do bebê afirmou que a mandante do sequestro é a avó materna da garotinha. O caso aconteceu na manhã da última sexta-feira (11).

De acordo com a corporação, o homem contou que a criança estava em casa com uma adolescente de 16 anos quando o quatro pessoas, uma delas armada, quebraram o vidro de4 uma janela, entraram no imóvel e pegaram a vítima. Em seguida, o grupo entrou em umFiat Uno de cor preta e não foi mais visto.

Ainda conforme o boletim de ocorrência, pai e avó disputam a guarda da criança na Justiça. Em conversa com a reportagem de O TEMPO na manhã desta segunda-feira (14), o homem contou que registrou a filha da cunhada após o pai do bebê não querer saber da gravidez.

O pai, que é casado com a irmã da mãe do bebê, explicou que nunca teve nenhum relacionamento amoroso com a cunhada. Todos viviam no mesmo distrito desde o nascimento da criança. No entanto, em janeiro deste ano, a mulher resolveu ir embora e deixou a filha aos cuidados do homem.

,Meses depois, a avó teria solicitado a guarda da neta.  Ainda segundo o pai, a criança foi levada para a cidade de Lontra, próximo de Montes Claros, na região Norte de Minas. A menina estaria com a avó e com a própria mãe.

A reportagem tentou novo contato o pai, mas ele disse que ainda não foi à delegacia informar a pista que teve sobre o paradeiro da filha e que, por orientação do seu advogado, não poderia mais comentar o caso.

A assessoria de imprensa da Polícia Civil informou que, pelo desaparecimento ter acontecido durante plantão do fim de semana, a ocorrência foi registrada em uma cidade vizinha e ainda não chegou para o delegado de Pará de Minas. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave