Tribunal ainda analisa provas e Minas Boca espera ficar no Módulo I

Campeonato Mineiro 2014 se encerrou com o título do Cruzeiro no domingo, mas TJD ainda investiga tentativa de suborno pela última rodada da 1ª fase

iG Minas Gerais | FREDERICO RIBEIRO |

BELO HORIZONTE/ MINAS GERAIS / BRASIL (01.03.2014) - Dagoberto (c), do Cruzeiro, em disputa de bola com Christiano, do Minas Boca, lance que terminou com o segundo gol do Cruzeiro, durante partida valida pelo Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao, em Belo Horizonte (MG).    Foto: Juliana Flister / Agencia i7
Juliana Flister / Agencia i7
BELO HORIZONTE/ MINAS GERAIS / BRASIL (01.03.2014) - Dagoberto (c), do Cruzeiro, em disputa de bola com Christiano, do Minas Boca, lance que terminou com o segundo gol do Cruzeiro, durante partida valida pelo Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao, em Belo Horizonte (MG). Foto: Juliana Flister / Agencia i7
O Campeonato Mineiro já acabou com o título invicto do Cruzeiro, no último domingo, mas ainda há uma questão pedente que, de certa forma, manchou a imagem da 100ª edição do torneio. O caso de tentativa de suborno envolvendo o zagueiro Reginaldo, do Minas Boca, e um sujeito ligado ao técnico da URT, 'Valtinho', percorre as instâncias do judiciário esportivo de Minas Gerais e está longe e ter uma resolução.   A denúncia de caráter urgente feita pelo Minas Boca junto ao Tribunal de Justiça Desportiva/MG, ocorrida há quase um mês (dia 19 de março), ainda está na análise e recolhimento de provas. A maior delas, duas gravações de áudio da conversa entre Reginaldo e Valtinho, está nas mãos da perícia do TJD/MG e, dentre alguns dias ainda, haverá a resposta do perito ao Tribunal. Ao contrário do que foi afirmado para a reportagem de O Tempo no mês passado, os advogados de Minas Boca e URT afirmaram que nenhuma parte envolvida no ocorrido sofreu intimação para depor. Inclusive, Lucas Ottoni, advogado que representa a URT, esclareceu que 'tudo continua igual'.    O Minas Boca segue lutando para que seus direitos sejam reconhecidos. Ou seja, foi vítima de uma ação criminosa e anti-desportiva que teria como uma das consequência a eliminação da URT e a permanência do time de Sete Lagoas na elite do futebol mineiro.   "Nós ainda lutamos pelos direitos do Minas Boca, que é a permanência no Módulo I do Campeonato Mineiro com a eliminação da URT, que seria uma das consequência da punição que seria imposta", afirmou o advogado Douglas Ferreira, ao Super FC.

Leia tudo sobre: minas bocasubornourttjd