Thiakov comenta as canções de seu segundo trabalho

iG Minas Gerais | Lucas Buzatti |

Experimentalismo marca o novo trabalho do artista mineiro
THIAKOV/DIVULGAÇÃO
Experimentalismo marca o novo trabalho do artista mineiro

Influências musicais e artísticas diversas, produção caseira, construções poéticas, sentimentos e desabafos pessoais. Para conhecer e entender melhor as experimentais impressões de Thiakov, o Magazine pediu ao músico que comentasse, canção por canção, seu novo disco.  

Faixa a faixa 1- “Impressões” “Era para se chamar ‘Impressões Matinais Quando Estou com Você no Relvado sob o Efeito de Psicotrópicos’. Foi a primeira que eu fiz e a que deu vazão às outras. Foi dela que tirei o título do disco. É bem pra cima, bem introdutória. O Luiz Gabriel Lopes, do Graveola, me ajudou muito a chegar na estética dessa música”. 2 - “3am” “A letra é do \[rapper e compositor\] Matéria Prima. Ele me mandou, não tinha música. Disse: ‘Faz aí’. Fiquei enrolando, meio perdido, até que saiu um folk, bem Bob Dylan. Quando gravei, vi que dava pra brincar um pouco, coloquei umas vozes, uns ecos. Dei uma ‘estragada’ nela”. 3 - “Sob o Sol” “É meu lado Mutantes, inspirada no disco ‘Tudo Foi Feito pelo Sol’. É bem leve, sensorial. Sol batendo no rosto, vendo uma gatinha passar. A primeira parte é bem psicodélica, depois fica super esquisita”. 4 - “Eu Sou Você” “A primeira da seção de músicas eletrônicas, experimentais. Lembra Radiohead, assim. E a letra, da Brisa Marques, é muito surrealista. ‘E você quem eu sou? / O espelho de mim’. Isso é muito dadaísta, muito original. É poesia contemporânea, sem tiques do passado”. 5 - “Pés de Vidro” “É outra letra da Brisa, composição minha em parceria com ela. Quem canta é a Leopoldina Azevedo. Já estava pronta, foi gravada para o filme ‘Aluga-se’, do \[diretor\] Cris Azzi. Achei que tinha tudo a ver com o disco”. 6 - “Estradar” “Acho uma mistura de Gilberto Gil com Crosby, Stills and Nash. Tem uns coros, violãozinho leve. E a letra é uma autoajuda. Fala da busca interior, que é no escuro, no mistério”. 7 - “Noite Sem Fim” “É uma das mais sensoriais. Barulho de chuva, luz de farol. O cara andando na escuridão. Melancólica, mas não é triste. Parece cinema”. 8 - “O Adeus” “É um afoxé. Muita influência de Caetano e Gil, mesmo. E a letra fala um pouco da dor e do alívio do fim de um relacionamento”. 9 - “Life Begins at 40” “Um sampler do compositor Winston Legtie, com interferências de rádio, vozes e instrumentos de Thiakov”. 10 - “We Find the Tune” “Uma das mais densas do disco. É um romântico industrial, um industrial do amor (risos). E a letra é louca, contrasta com o som: ‘Se a gente voltar, podemos achar nossa afinação’”. 11 - “Música Alien” “Experimentação pura, totalmente eletrônica”. 12 - “Caindo” “Gosto muito dela. É meio pop e meio esquisita. E a letra é uma espécie de eletrocordel trilíngue”.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave