Torcidas dão show nas arquibancadas na decisão faturada pelo Cruzeiro

Em maioria no Mineirão, China Azul empurra o time até o título; Massa do Galo também fez sua parte, mas time não correspondeu

iG Minas Gerais | ANTÔNIO ANDERSON |

Esportes -  Belo Horizonte, Mg. Final do Campeonato Mineiro. Atletico-MG X Cruzeiro. Jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao. Fotos: Leo Fontes  / O Tempo - 13.4.14
LEO FONTES / O TEMPO
Esportes - Belo Horizonte, Mg. Final do Campeonato Mineiro. Atletico-MG X Cruzeiro. Jogo de volta da final do Campeonato Mineiro, no estadio Mineirao. Fotos: Leo Fontes / O Tempo - 13.4.14

Pintado em sua grande maioria nas cores azul e branco, o Mineirão viveu um clássico marcado por grande rivalidade entre as torcidas. Mesmo em menor número, já que o Atlético teve direito a 10% da carga total de ingressos, os alvinegros entoavam a plenos pulmões seus cantos de guerra e incentivo ao time. Os celestes não deixavam por menos e no mesmo tom respondiam as provocações, lembrando principalmente o 6 a 1 no Brasileirão de 2011. Antes do apito inicial do clássico, o time de vôlei do Cruzeiro foi homenageado pela conquista do bicampeonato da Superliga Masculina com direito a volta olímpica e gritos de “campeão”. Também foi prestada uma homenagem ao ex-radialista Osmar Santos, que foi convidado pela Federação Mineira de Futebol (FMF) para dar o pontapé inicial no confronto. Os clubes entraram em campo com direito a bandeirão na torcida do Galo e um mosaico na da Raposa. Quando a bola rolou, até que os atleticanos tentaram dar uma força ao time, mas o Galo não correspondia em campo e era envolvido pelo toque de bola do Cruzeiro, que no embalo de sua torcida dominava o jogo e criou chances seguidas de abrir o placar. O segundo tempo foi de muita cantoria das torcidas, principalmente dos cruzeirenses, que quase não deram chances para que os atleticanos pudessem ter seus gritos escutados no estádio. Pulando nas arquibancadas, os celestes literalmente fizeram o Mineirão balançar. Com o time mostrando um melhor futebol na etapa complementar, os alvinegros gritaram nos minutos finas "eu acredito", mas, no fim, quem fez mesmo a festa foram os cruzeirenses para comemorar o título mineiro invicto conquistado pelo clube.

Enquanto os cruzeirenses faziam sua festa, os atleticanos, em reconhecimento a luta do grupo, aplaudiam os jogadores na saída do estádio. Ainda houve tempo para as tradicionais provocações entre as duas torcidas, mas o cordão de isolamento feito pela Polícia Militar evitou que algo pior acontecesse

Leia tudo sobre: cruzeiroatleticotorcidamineiraomineirofutebolfinalcampeaoraposagalo