Em meio à maratona, Sada Cruzeiro mostrou fôlego para ser campeão

Time celeste disputou Mundial de Clubes e Copa Brasil durante a Superliga e força do grupo garantiu títulos de todos os torneios

iG Minas Gerais | DÉBORA FERREIRA |

ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - 13.4.2014 - SUPERLIGA MASCULINA DE VOLEI - Final entre SADA CRUZEIRO X SESI SAO PAULO no Ginasio do Mineirinho em Belo Horizonte MG.
Foto: Douglas Magno / O Tempo
douglas magno
ESPORTES - BELO HORIZONTE MG - 13.4.2014 - SUPERLIGA MASCULINA DE VOLEI - Final entre SADA CRUZEIRO X SESI SAO PAULO no Ginasio do Mineirinho em Belo Horizonte MG. Foto: Douglas Magno / O Tempo

Com o fôlego de campeão mundial, o Sada Cruzeiro entrou com tudo na Superliga 2013/2014. Os celestes fizeram uma grande campanha e cumpriram seu papel para chegar em primeiro na fase de classificação, garantindo a grande final em sua casa se chegasse à decisão.

Nesta edição da competição, o time estrelado alcançou a incrível série de dez jogos sem derrotas. O primeiro revés aconteceu apenas na sétima rodada – alguns embates foram antecipados por causa da disputa do Mundial de 2013 -, diante do Vôlei Brasil Kirin-SP, dentro do ginásio do Riacho. A disputa foi extremamente acirrada e decida em detalhes, no tie-break.

A equipe enfim começava a demonstrar os sintomas de cansaço da maratona de jogos, e acabou derrotado para o Funvic-Taubaté-SP, lanterna da Superliga à época, na rodada seguinte, apenas dois dias após o confronto com o Brasil Kirin.

“Perdemos dois jogo porque não somos imbatíveis. Somos o que mais perdeu com esta história, porque depois que perdemos para o Campinas, tivemos um dia de descanso para jogar no outro, mas agora estamos inteiros, temos certeza que vamos para cima”, afirmou Serginho, pouco antes de o Sada estrear na Copa Brasil, terceira competição do grupo na temporada.

Com as energias renovadas em 2014, os comandados de Marcelo Mendez voltaram ao vôlei de alto nível e chegaram às quartas com apenas duas derrotas no ano. Experiente após o vice do ano anterior, o Sada mostrou logo a que veio no primeiro jogo das quartas de final, ao fazer 3 a 0 sobre o Moda-Maringá-PR logo no primeiro jogo. Com promessa de revanche, os cruzeirenses foram ao Paraná e eliminaram o terceiro jogo. O mesmo aconteceu com o Vivo-Minas, que chegou a vencer a Raposa no jogo de volta na primeira fase.

Jovens da base ganham espaço

Em janeiro, o levantador reserva Vinhedo, contratado nesta temporada, passou por uma cirurgia de correção de hérnia de disco lombar e, para suprir a ausência, Marcelo Mendez apostou no jovem Lucas Salim, que se preparava para a disputa da Superliga B com o Sada-Funec-Contagem. Aos 20 anos de idade, o jogador ganhou confiança e chegou a ficar boa parte nas quadras durante o Sul-Americano, se tornando uma boa alternativa para Mendez.

Além dele, o ponteiro Kadu também ganhou destaque no time adulto e participou de jogos da Superliga principal. Na competição paralela, os juvenis que representavam o Sada se saíram muito bem contra as equipes adultas que buscavam uma vaga na elite. Além das escalações para atuar entre os profissionais, o grande momento da base, embalado na campanha do Sada Cruzeiro, refletiu até em convocações para a seleção.

Leia tudo sobre: sada cruzeirosuperligacruzeiroraposavoleicampeaomaratona