COPA 2014 Objetivos ousados para único estreante

País independente há apenas 22 anos, Bósnia começa a traçar sua história em Copas em 2014

iG Minas Gerais | victor martins |

“Será incrível jogar nossa primeira partida da vida em Copas do Mundo no Maracanã. Mal posso esperar.” Edin Dzeko
ATACANTE DA BÓSNIA- HERZEGOVINA
Sulejman Omerbasic/AP
“Será incrível jogar nossa primeira partida da vida em Copas do Mundo no Maracanã. Mal posso esperar.” Edin Dzeko ATACANTE DA BÓSNIA- HERZEGOVINA

O dia 15 de junho vai entrar para a história de um pequeno país na região dos Bálcãs Ocidentais, na Europa. Às 19h, no Maracanã, a Bósnia-Herzegovina vai jogar pela primeira vez uma partida de Copa do Mundo. A estreia não vai ser nada fácil, pois do outro lado vai estar a seleção argentina, simplesmente com um dos melhores jogadores do futebol mundial.

Apesar de começar a inédita caminhada diante de Lionel Messi, o técnico da Bósnia, Safet Susic, se mostra confiante. Tanto que, ao ser questionado sobre o grupo F, o treinador passou bem longe do politicamente correto. Ele não teve problema algum ao citar que o Irã é a equipe mais fraca e que teme a Nigéria somente pela experiência em Copas, já que os africanos chegam à sua quinta participação.

“Depois de ver os outros grupos, podemos estar satisfeitos. Não há razões para tristeza, embora estejamos no grupo da Argentina, que é candidata ao título mundial. Por outro lado, o Irã é bem mais fraco do que nós. Já a Nigéria é, na pior das hipóteses, do nosso nível, embora tenha mais experiência em Copa. Julgo que lutaremos com eles pelo segundo lugar”, avaliou Susic.

Assim, admitindo que a disputa é pelo segundo lugar, o treinador bósnio conta com jogadores experientes, que atuam nas principais ligas da Europa. Da Inglaterra, ele conta com o atacante e astro do time Edin Dzeko, do Manchester City. O lateral Lulic e o meia Pjanic jogam nas rivais Lazio e Roma, respectivamente, e representam a Itália. Do futebol alemão, os selecionados são Salihovic, do Hoffenheim, e Ibisevic, do Stuttgart.

Se em 2010 os bósnios bateram na trave – já que caíram na repescagem diante de Portugal – nas Eliminatórias para 2014 eles não vacilaram. Conquistaram 25 dos 30 pontos possíveis, assim com a Grécia, mas venceram no saldo de gols. Daí a confiança em Dzeko, para que logo na primeira participação a Bósnia consiga, ao menos, avançar de fase.

Nação novata, mas de velha paixão por futebol A Bósnia-Herzegovina vai disputar sua primeira Copa do Mundo. No entanto, torcer por uma equipe em Mundial não chega a ser uma novidade para a população local. A Bósnia-Herzegóvina é uma das cinco nações que formavam a Iugoslávia, desmembrada no início dos anos 90. Localizada na região dos Bálcãs, a Iugoslávia era uma reunião de etnias, conquistadas e anexadas por meio de lutas e guerras. Foi por conta de um assassinato em Sarajevo, inclusive, que se iniciou a Primeira Guerra Mundial. E depois de mais conflitos e mortes, a Iugoslávia se desfez e surgiram Bósnia-Herzegovina, Sérvia e Montenegro (que se dividiram em 2006), Croácia, Macedônia e Eslovênia. No campo esportivo, a Iugoslávia registra certa representatividade em Copas do Mundo. Ao todo, foram nove participações em Mundial, com duas semifinais, sendo uma logo na primeira edição, em 1930, e outra em 1962, ano em que Brasil levou seu segundo título. Se a Bósnia faz sua estreia na Copa do Mundo em 2014, outras três seleções conseguiram a qualificação para edições anteriores: Croácia (1998), Eslovênia (2002) e Sérvia (2006). Já Macedônia e Montenegro vão ter de esperar até 2018, pelo menos.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave