‘Cidades devem ser capazes de se reinventar constantemente’

Pesquisa feita em grandes cidades dá dicas para entender como os centros urbanos evoluem

iG Minas Gerais | Flávia Denise |

São Paulo. Houve uma explosão de crescimento próximo à cidade nos anos 30 e até os 50. As cores vermelho e laranja mostram a crescente dominação da região
Reprodução / YouTube
São Paulo. Houve uma explosão de crescimento próximo à cidade nos anos 30 e até os 50. As cores vermelho e laranja mostram a crescente dominação da região

As grandes cidades do mundo crescem em um ritmo vertiginoso, e não há sinais de que vão parar. Essa é uma das conclusões que um grupo de pesquisadores do centro de pesquisa NYU Stern, da Universidade de Nova York, chegou ao avaliar o crescimento de 120 cidades grandes do mundo.

A segunda conclusão é um pouco mais focada nos problemas típicos do Brasil e da América do Sul: os países em desenvolvimento devem triplicar suas populações urbanas nos próximos cem anos – países desenvolvidos já estão estabilizados. Levando isso em consideração, é preciso planejar o crescimento urbano para evitar o caos do desenvolvimento desordenado, que gera problemas como o trânsito nada fluido que vemos nas metrópoles brasileiras.

“Cidades são motores econômicos que podem ser muito produtivos se gerenciados adequadamente. Se não, eles ficam disfuncionais rapidamente. Cidades devem ser capazes de se reinventar constantemente”, explica o pesquisador sênior do projeto, Shlomo Angel.

O grupo faz quatro sugestões para preparar as cidades para sua “expansão inevitável”: fazer projeções realistas de quanta terra será necessária para expandir, criar limites generosos para que as cidades tenham para onde crescer, planejar e executar a infraestrutura antes que o desenvolvimento chegue ao local. Para mostrar quão rápido uma cidade pode crescer, eles apresentaram no World Urban Forum, vídeos mostrando os últimos 200 anos de crescimento de 30 cidades do mundo, entre elas, São Paulo.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave