“Um bebê é como um quebra- cabeça”

Suzy Giordano Baby coach Criadora do método

iG Minas Gerais | Litza Mattos |

Quais são as maiores dificuldades com o recém-nascido?

Eu acredito que as mães têm um instinto natural, mas com as opiniões de vizinhos, parentes e revistas, a mãe costuma se questionar e acaba criando maus hábitos. Já o bebê vem de um ambiente equilibrado (barriga da mãe), e chega em um ambiente que não é perfeito, e a única maneira de comunicação é o choro. O desafio para os pais é decifrar o choro para ajudar o bebê a se adaptar.

A partir de qual idade o método deve ser colocado em prática?

A partir da 8°semana de vida do bebê. Antes disso, os pais vão apenas tentar sobreviver. Claro que os pais estão lidando com uma espécie inteligente que vai usar o choro como uma maneira de “negociação”, mas o processo é bem natural e não deve ser difícil. Se sentir que está “lutando” é por que está errando em alguma parte do processo. Um bebê é como um quebra-cabeça.

Com quanto tempo de prática o método já se torna uma rotina na família?

Se começar com oito semanas, em um mês já vira rotina. Estou escrevendo o terceiro livro em que explico que esse mesmo método pode ser aplicado em crianças de até 5 anos de idade. Encorajo os pais a entender que eles não podem dormir pelos seus bebês, tem que ensiná-los a desenvolver essa habilidade.

A técnica serve tanto para um bebê quanto para múltiplos?

Sim. Não existe diferença nenhuma. Os seres humanos aprendem por repetição. Se os pais estabelecerem uma rotina à noite, o bebê vai aprender que o pijama mais a mamadeira, o banho e a luz baixa é igual a hora de dormir. 

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave