Vitórias criam esperança de chegar à seleção brasileira

Concorrência pode ser uma das razões para que atletas de qualidade não estejam no grupo

iG Minas Gerais | Débora Ferreira |

Oportunidade. Destaque no Sada Cruzeiro, o ponteiro Filipe aguarda uma chance de representar o Brasil: “eles não se decepcionariam”
UARLEN VALERIO / O TEMPO
Oportunidade. Destaque no Sada Cruzeiro, o ponteiro Filipe aguarda uma chance de representar o Brasil: “eles não se decepcionariam”

Como era de se esperar de uma decisão de um campeonato disputado como a Superliga, Sada Cruzeiro e Sesi-SP fazem neste domingo, às 10h, no Mineirinho, o duelo em que muitas coisas, além do resultado, estão em jogo. Com grande presença de atletas que representam a seleção, são poucos os que ainda buscam uma oportunidade, ou que não se envolveram com o projeto.  

Diante deste cenário, a esperada partida surge como uma situação em que os atletas podem se destacar e chamar a atenção do técnico Bernardinho. Há duas semanas o treinador iniciou a lista de convocação para a temporada, que já trouxe surpresas, como o nome do jovem levantador Fernando Cachopa, da equipe B do Sada Cruzeiro, para o grupo principal. Com a disputa da Superliga ainda em aberto, uma boa parte dos jogadores que são presença constante ainda não se apresentou e as chamadas continuam, dando esperanças aos outros.

Entre os titulares que disputarão a partida deste domingo, o líbero Serginho, o ponteiro Filipe, do Sada e o levantador Sandro, do Sesi-SP, estão fora da seleção, e vivem situações distintas.

Destaque na campanha nacional como um dos melhores na recepção, Filipe, ídolo da torcida celeste, não guarda mágoas por não ter sido convocado, mas baseado em suas boas atuações em momentos decisivos e nos campeonatos internacionais que disputou com a equipe celeste, crê que não decepcionaria se ganhasse uma chance.

“Apenas gostaria de ter tido uma oportunidade, de terem me visto mais de perto por tudo que fiz. Sempre dei o meu melhor e acredito que não deixo a desejar para os concorrentes da posição, que tem o seu mérito. Tenho certeza de que eles não se decepcionariam”, afirmou.

Para Sandro, que atua em uma posição bastante disputada, uma das explicações para sua ausência seria justamente a concorrência. Como Bernardinho mantém uma base e já tem seus “homens de confiança”, fica mais difícil. No entanto, esta final pode ser justamente uma chance.

“Minha função é de confiança do técnico, e levantadores vão apenas dois ou três. É uma disputa grande e poucas oportunidades. Mas chegando em finais, com títulos, é importante para quem sabe aparecer oportunidade”, declara.

Já o líbero cruzeirense Serginho prefere não fazer parte do grupo e garante que prefere estar no Sada. “Eu estou na seleção azul, e a outra é uma que não interessa”, explica.

Amizade Encontro. Agora jogando no Sesi-SP, Lucarelli, ex-Vivo-Minas, tem pouco tempo para reencontrar os amigos que deixou em BH. A presença na seleção, entretanto, permite o reencontro entre eles.

Leia tudo sobre: Clique para inserir palavras chave